SAM SPEWHAN

Por Matt Bendoris para The Scottish Sun | 14 maio de 2017

A criadora de Outlander, Diana Gabaldon, fala sobre o pesadelo que foi o enjôo que Sam Heghan sentiu enquanto filmava a cena do barco na terceira temporada.

O ator que interpreta Jamie Fraser praguejava como um marinheiro no momento em que ficou enjoado durante as filmagens da viagem na série de sucesso.

A criadora de Oulander, Diana Gabaldon, revelou que Sam Heughan passou de astro do rock para o fundo do poço quando a cena do barco o deixou doente.

A autora recentemente retornou da África do Sul, onde o ator escocês está filmando a terceira temporada da série de grande sucesso.

Sam estava se sentindo muito mal depois de repetir a cena do enjôo

Mas Sam, adorado como um rock star por todas as fãs de Outlander, interpretando o papel de um guerreiro sexy das Highlands, Jamie Fraser, praguejava como um marinheiro quando ficou enjoado durante as filmagens.

Diana, que também é uma consultora da série, explicou: “Eles possuem esses navios incríveis, em tamanho real, com um sistema hidráulico que faz com que eles balancem e inclinem como os de verdade.”

“Sam precisou vomitar para uma cena e não será spoiler dizer que Jamie Fraser sofre de enjôo.”

Sam disse: “Eles me deram claras de ovos tingidas de verde com uma essência de baunilha repugnante. E eu tive de manter isso dentro da boca até o momento de vomitar.”

“É claro que eles tiveram de refazer a cena muitas vezes e lá pela sexta vez, Sam olhou para o copo com as claras de ovos e disse: ‘Droga. Atuar não é assim tão glamoroso.’”

Sam estrelando com Caitriona Balfe em Outlander

Diana recebeu o Scottish Sun no luxuoso Cringlletie House Hotel perto de Peebles, que agora oferece finais de semana no estilo Outlander e até menus e casamentos temáticos, no estilo jacobita.

A escritora americana tornou-se uma visitante regular na Escócia desde que o primeiro de uma série de oito livros de Oulander foi publicado em 1991. Eles chegaram a vender mais de 28 milhões de cópias e foram traduzidos para 39 línguas.

A saga de Diana faz a enfermeira da Segunda Guerra Mundial Claire Randall, interpretada pela atriz irlandesa Caitriona Balfe, viajar de volta no tempo para o século 18 em meio a revolta jacobita.

A mãe de três filhos trabalhava como professora no estado americano do Arizona e fazia a revisão de uma revista de informática quando decidiu escrever um romance — e manteve a ideia em segredo do seu marido, Doug Watkins.

Ela assume: “Meu marido teria tentado me impedir se soubesse. Não que ele não gostasse da ideia mas ele tinha medo de me encontrar morta, porque, naquele momento, eu tinha dois empregos em tempo integral e três crianças com menos de seis anos.”

“Escrever sobre a Escócia foi totalmente por acaso. Eu não tinha a intenção de mostrar meu trabalho para ninguém.”

A indústria do turismo será eternamente grata a Diana por ter divulgado seu trabalho. Outlander causou uma explosão de visitas a todas as locações vistas nas duas primeiras temporadas.

Doune Castle, em Stirlingshire, usado como o fictício Castelo Leoch, recebeu mais de 71.000 visitantes no ano passado, 44% a mais do que no ano anterior.

O Castelo Blackness, perto de Firth of Forth, que serve de cenário para o quartel general de Black Jack Randall no Forte William, registrou mais de 22.000 visitas, um aumento de 28%.

Diana com o elenco de Oulander

Mas Diana possui mais histórias para contar sobre o efeito Outlander. Ela diz:

“Na primeira e na segunda temporada há algumas cabras no curral da casa da família de Jamie Fraser, Lallybroch.

Essas cabras foram alugadas de um fazendeiro local, juntamente com as galinhas.

Eu estava dando uma palestra no Festival Literário de Wigtown quando o fazendeiro olhou para cima e disse ‘Obrigado’.

Aparentemente, o dinheiro que ele ganhou com o aluguel das cabras salvou sua fazenda inteira. Ele até trouxe as cabras para me conhecer.”

Ela acrescenta: “Na primeira vez que visitei o set de filmagens, onde eu estava fazendo uma breve aparição, o consultor de gaélico Adhamh O Broin disse que a série também estava ajudando a resgatar a língua gaélica.

Ele disse, então, que havia uma tecelagem na fronteira que estava prestes a fechar as portas e declarar falência até que passou a fabricar o padrão xadrez de Outlander.”

“Depois de tudo isso, o meu marido perguntou: ‘Então, você foi responsável pela melhora da economia escocesa, salvou uma tecelagem e resgatou a língua gaélica. O que fará agora?”

“Mas os efeitos de Outlander me fascinam todo o tempo.”

A autora acadêmica super inteligente e altamente motivada, que frequentemente escreve por horas durante a noite, não importando em que parte do mundo está, é uma grande amante da perfeição. Não é a toa que ela zomba da versão histórica dos eventos no filme premiado em 1995, Coração Valente, com Mel Gibson.

A criadora de Oulander, Diana, é uma consultora da série

Ela diz rindo: “Na verdade, existe licença poética … e existe lixo. Mas fiquei feliz quando Coração Valente surgiu na época de lançamento do meu terceiro livro, porque de repente, tudo o que era escocês ficou muito popular.”

Os direitos para filmagem e série de TV de Outlander foram vendidos quatro vezes nos últimos vinte anos antes que o livro fosse finalmente adaptado para as telas em 2014, pelo roteirista de Star Trek, Ron Moore, com exibição no Amazon Prime, no Reino Unido.

Diana, cujos livros podem conter mais de 1.200 páginas, sorri: “o roteiro piloto foi a única coisa que não me fez ficar branca de medo, nem vermelha de raiva.”

A Sony Pictures investiu 37 milhões de libras para produzir a série, o que incluiu a construção do primeiro estúdio de filmagens na Escócia, na velha fábrica OKI, em Cumbernauld, tendo recebido ajuda de 4 milhões de libras do governo escocês.

Diana se encontra com o repórter do Scotttish Sun, Matt Bendoris

E mesmo que toda a ação tenha se mudando para o outro lado do oceano, com a duplicação da África do Sul para o cenário do Caribe antes que a história continue na Carolina do Norte, ela acredita que o elenco e a equipe retornarão para a Escócia. Diana diz:

“Eu tenho esperanças de que teremos uma quinta, talvez sexta temporada da série, mas teremos que aguardar e ver o que acontece. Eu não sei ao certo, mas eles devem continuar a usar Cumbernauld para a Carolina do Norte porque as cenas internas podem ser feitas em qualquer lugar e há lugares suficientes na Escócia que se parecem com a Carolina do Norte.”

E, é claro, mesmo que os escoceses tenham emigrado, eles ainda são escoceses e haverá muitos deles na quarta temporada, de qualquer forma.”

Mas, embora Diana aparente ser jovem para os seus 65 anos, ela avisa suas legiões de fãs que tanto ela, quanto seus amados personagens, não poderão existir para sempre.

A escritora, atualmente trabalhando no nono livro, diz: “Acredito que há dez livros na série principal e, então, um especial sobre os pais de Jamie.”

“Mas são as vidas de Jamie e Claire, e todos deverão morrer mais cedo ou mais tarde, inclusive eu mesma.”

Tradução: Maria Aparecida Mello Fontes

Sobre o título: Spewhan vem de spew (vômito) + Heughan (sobrenome do Sam)

Fonte: The Scottish Sun

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s