A melhor cena de sexo da televisão

Por: Lili Loofbourow

Cortesia Starz

Ao permanecer relativamente leal aos livros, Outlander fez algumas escolhas audaciosas que outros shows poderiam ter evitado — por exemplo, envelhecer em 20 anos seus protagonistas extremamente bonitos e separá-los por aproximadamente metade de uma temporada. Mas isso é o que Outlander fez. E, finalmente, depois de seis episódios e 200 anos de intervalo, nossos amantes se reuniram. Depois de retornar ao século 20 e juntar-se ao seu (primeiro) marido Frank para criar Brianna, sua filha com Jaime, Claire descobre que Jaime não morreu na Batalha de Culloden como ela havia pensado. Depois de passar seis episódios procurando por ele, ela viaja de volta no tempo e o encontra trabalhando em uma gráfica.

O show com o melhor sexo na televisão enfrenta um desafio com esta reunião: o que os amantes que se separaram por duas décadas fazem um ao redor do outro?

A resposta de Outlander é estranha. E constrangedora. E realmente, impressionantemente correta .

Esta não é a primeira instância de Outlander que brinca com as convenções do seu gênero e os entusiasmos dos seus fãs. Outlander adora desafiar todas as expectativas que se pode ter de um show que parece, para quem está de fora, como um programa rasga-roupa sexy de viagem no tempo. Se você assiste só por causa do sexo, que pena; um personagem passa a maior parte de uma temporada se recuperando de um trauma sexual. Você assiste por causa da forte personagem feminina? Por causa de Claire Beauchamp, uma mulher jovem obstinada, sexualmente habilitada e engenhosa? Desculpe, ela está reprimida e sem alegria agora. Por causa do delicioso sotaque escocês? Que chato, nos mudamos para Paris. Você também gostou desses sotaques? Conheça Brianna. Ela é — de um modo genérico, sem inspiração — americana.

Enfim, nossos heróis finalmente se reencontram. Eles estão mais velhos. Eles estão “envelhecidos” no sentido mais frouxo da palavra: Caitriona Balfe e Sam Heughan ainda são ridiculamente bonitos e sem cabelos grisalhos em suas formas de quarenta e poucos, mas suas roupas e cabelos percorrem um longo caminho para exibir sua idade. (Nem mesmo Heughan pode fazer que os trajes do estilo de Benjamin Franklin pareçam sexy e a aparência que Claire escolhe para o seu encontro parece mais o de uma funcionária de escola.

Podia-se esperar que a reunião inicial envolvesse amantes rasgando a roupa um do outro e indo para os finalmentes. Em vez disso, Jaime desmaia e derrama cerveja por toda sua virilha. É o simbolismo mais triste imaginável.

“Você se importa?”, Ele pede implicitamente a Claire para se virar para que ele possa se trocar. Claire olha para ele, com incerteza. “Está tudo bem”, diz ela. “Nós somos casados. Pelo menos, penso que somos.” Depois de uma longa e incerta pausa, Jaime tira suas calças e fica parecendo muito bobo só com sua camisa. Claire olha para o joelho nu de Jamie, as mãos dela em seus lados, ostentando uma capa sem forma cheia de bisturis modernos.

Não é assim que esperávamos que este momento se passasse.

É hilário e doloroso e, assim — de pequenas maneiras — são cada uma das revelações que se seguem. Ele vê fotos da vida em 1968 através de lentes bifocais. Ele fica abalado, tanto pelas fotos dessa outra vida, como pela estranheza de contar a Claire sobre seu filho, Willie. Ele anda com os pés descalços, olha fixamente o fogo. “Eu sabia, quando eu decidi voltar, que você teria tido uma vida”, diz Claire, cheia de compreensão. Mas essa terna produção dos fios quebrados de suas vidas culmina com Jaime alegremente levando-a para o bordel onde ele … vive. É um sintoma divertido do quão longe estão seus pressupostos básicos.

“Não é muito, mas é conveniente”, diz Jaime. “É bem mais confortável do que o meu colchão na gráfica”, ele acrescenta, sem convencer. “Talvez tenha sido uma má idéia”, ele conclui com calma.

“Parece razoável o suficiente”, diz Claire, que está tentando se manter tranquila com a situação, mas parece extremamente perturbada. (Tal como nós — A narrativa alinha a nossa surpresa total com a dela.)

“Você e eu nos conhecemos menos agora do que quando nos casamos”, diz Jaime, corretamente. Esse retorno à noite do casamento é deliberado: a abordagem de Outlander para a noite do casamento foi revolucionária ao mostrar que o sexo — mesmo entre pessoas muito lindas — pode ser uma negociação difícil e estranha. Naquela época, Claire e Jaime levaram três tentativas até encontrarem o caminho para o prazer mútuo. Esta cena está em diálogo com aquela. “Você me quer?”, Pergunta Jaime, e assim como o humor parece estar aumentando— Claire sugere que ela pode ser uma pessoa horrível, inclinando-se para um beijo; “Você sabe, Sassenach, eu não acho que eu me importo”, responde Jaime, e quando o show está prestes a começar — eles são interrompidos por Pauline, a empregada do bordel, que os traz a ceia.

É engraçado, assim como a cena subseqüente, que mostra que eles se digerem um ao outro por entre luz de velas. Deveria ser romântico, mas não é. A voz que narra tenta arduamente criar o humor que todos desejam: “Depois de terminarmos, o mesmo pensamento era o mais importante em ambas as nossas mentes. Não poderia ser de outra forma.” É uma fala afetada, como é a de Jaime “você virá para a cama comigo então?” E o que se segue — em oposto a cena “e eles rasgaram as roupas um do outro” que esperamos — é a mais lenta desnudagem da história da televisão. Várias camadas, ambos estão basicamente vestindo ternos. E Claire, que sempre foi tão livre, tão despreocupada, está desconfortável. Balfe se destaca em realizar um erotismo magro, com fome e selvagem, mas ela interpreta essa Claire mais velha como uma mulher gentil e nervosa e quase materna, enquanto ela despida Jaime. Ela o introduz a um zíper.

“Diga alguma coisa”, diz Claire, finalmente despida de tudo. Ela se cobre, nervosamente. É tão verdadeiro— o nervosismo, a suspeita de que a idade mudou suas personalidades e corpos e atrações básicas. “Você está tão assustado quanto eu?”, Ela diz. Eles se alcançam novamente, encontram o caminho para uma verdadeira conexão sexual, se beijam, mas Jaime, acidentalmente, bate com cabeça no nariz de Claire. Eles têm uma conversa sobre o “som desagradável” que um nariz faz quando se quebra, e determinam que ela não quebrou o nariz.

É só quando eles começam a se darem ordens — “faça agora e não seja delicado”, “me dê sua boca, Sassenach” — que eles realmente se reconectam. E quando o show finalmente se rompe em puro serviço sexy aos fãs, é orgásmico e ótimo, completo com conversas bobas pós-sexo.

Mas Outlander é único em como usa sexo para refletir sobre o desenvolvimento do personagem. O show considera como a “personalidade” sexual das pessoas é afetada por sua experiência de vida, seja a de Jaime depois que ele foi estuprado ou Claire depois de 20 anos passados ​​sem sexo e reprimidos. E as pessoas não apenas recuam: Claire, por exemplo, costumava manter os olhos abertos durante o sexo; Foi sintomático de sua desconexão de Frank que os manteve fechados. Vale ressaltar, então, que, mesmo com Jaime, eles estão abertos apenas metade do tempo.

Tradução: Ivana Kennedy

Fonte: The Week

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s