Daily Line: Conversa de Homen II: “Memorial Day 2016”

POSSUI SPOILER DO LIVRO 9 | Leia outros em Trechos da Diana

trechos da diana

Leia primeiro: Daily Line: Conversa de Homem

Em homenagem àqueles que pagaram pela nossa liberdade com seus próprios corpos, com suas vidas e com suas almas.

#DailyLInes #LivroNove #MemorialDay2016

“Não. Preste atenção,” Roger acrescentou enquanto afastava um ramo de pinheiro tão espesso quanto sua seiva penetrante que deixava a palma da sua mão pegajosa, “John Adams, Ben Franklin, todos os pensadores e oradores, todos estão arriscando seus pescoços tanto quanto você está, quanto nós estamos.”

“Certo.” O terreno se tornava mais íngreme e nada mais foi dito durante a subida, enquanto sentiam o caminho sobre o solo partido de cascalho.

“Eu fico pensando que talvez eu não deva morrer, ou levar os homens para a sua própria morte, apenas pela ideia de liberdade. Não agora.”

“Não agora?” Repetiu Roger, surpreso. “Você poderia tê-lo feito antes?”

“Sim. Quando você e sua menina e sua crianças estavam… ali.” Roger sentiu o breve movimento de uma mão sendo projetada para um futuro distante. “Porque o que eu fiz aqui … faria alguma diferença, certo? Para todos vocês, e eu não posso lutar por vocês.” A voz dele ficou mais suave.  “Eu fui feito para isso, certo?”

“Entendo,” disse Roger. “Mas você sempre soube disso, não é?”

Jamie produziu um som com a garganta, meio surpreso.

2

“Não sei quando eu soube,” ele disse com um sorriso na voz. “Talvez em Leoch quando descobri que poderia enganar os outros homens e o fiz. Talvez eu devesse me confessar por aquilo?”

Roger ignorou a pergunta.

“Fará diferença para Jem e Mandy, e os outros do nosso sangue que virão depois deles.” ele disse. Desde que Jem e Mandy sobrevivam para ter seus próprios filhos, ele disse para si mesmo, e sentiu um frio na boca do estômago diante do pensamento.

“Quantos anos você tinha, na primeira vez em que viu um homem ser assassinado?” Roger perguntou de repente.

“Oito,” Jamie respondeu sem hesitar. Em uma luta durante meu primeiro roubo de gado. Eu não fiquei muito preocupado com isso.”

Jamie parou de repente e Roger teve que dar um passo para o lado para não colidir com ele.

“Veja,” disse Jamie e ele obedeceu. Eles estavam de pé no topo de uma pequena elevação, onde as árvores desapareciam por um momento e onde o Ridge e o lado norte da enseada abaixo deles espalhava-se diante dos seus olhos, uma enorme porção de preto bem sólido em contraste com o índigo do céu desbotado. Mesmo assim, pequenas luzes piscavam na escuridão: janelas e chaminés faiscantes em uma dúzia de cabanas.

“Não são apenas as nossas esposas e nossos filhos, sabe?” disse Jamie apontando com a cabeça para as luzes. “São os deles também. Todos eles.” Sua voz continha uma estranha nota, que continha uma pontada de orgulho, mas um tipo de lamento e resignação também.

Todos eles..

Eram setenta e três lares ao todo, Roger sabia disso. Ele tinha visto os livros de contabilidade de Jamie, tudo anotado com muito zelo, contendo as economias e os cuidados de cada família que ocupava suas terras, e sua mente.

“Agora, pois, assim dirás ao meu servo David, assim disse o senhor dos exércitos, eu te tirei do trabalho de pastor de ovelhas e fiz de ti o rei do meu povo, o povo de Israel.” A citação surgiu na sua mente e ele a disse em voz alta antes que pudesse pensar.

Jamie suspirou profundamente e sonoramente.

“Certo,” ele disse. “As ovelhas devem ser mais fáceis.” Então, de repente, “Claire e Brianna dizem que a guerra está vindo para o sul e eu não posso protegê-los se chegar muito perto.” Ele acenou com a cabeça em direção às faíscas piscantes e Roger compreendeu que “eles” eram seus inquilinos, sua gente. Ele não deu nenhuma resposta mas recolocou o cesto nos ombros e começou a descer.

A trilha ficou mais estreita. O ombro de Roger sentiu o ombro de Jamie perto do seu e ele deu um passo atrás para seguir o sogro. A lua demorou para brilhar naquela noite. Estava escuro e o frio cortava o ar.

“Eu vou ajudá-lo a protegê-los,” ele disse pelas costas de Jamie. Sua voz estava rouca.

“Eu sei disso,” disse Jamie com suavidade. Houve uma pausa curta, como se Jamie estivesse esperando que ele dissesse mais alguma coisa e ele percebesse que deveria dizer.

“Com meu corpo,” Roger disse solenemente para a noite. “E com minha alma se necessário.”

Ele viu a silhueta de Jamie, notou que ele deu um suspiro e que seus ombros relaxaram depois do desabafo. Eles apressaram o passo, a trilha estava escura e eles se desviavam do caminho de tempos em tempos, com os arbustos machucando suas pernas descobertas.

Quando chegaram nos limites da sua própria clareira, Jamie fez uma pausa para permitir que Roger o alcançasse e colocou uma mão no seu braço.

“As coisas que acontecem em uma guerra, as coisas que a gente faz, elas ficam marcadas em você,” ele disse finalmente. “Eu não acho que o fato de ser um reverendo irá poupá-lo disso, é o que estou dizendo e eu sinto muito.

As coisas ficaram marcadas em você. E eu sinto muito. Mas ele nada disse, apenas tocou de leve a mão de Jamie que estava no seu braço. Então, Jamie removeu a mão e eles caminharam juntos, em silêncio.

Fonte: Diana Gabaldon
Data de publicação: 30/05/2016

Leia também: Daily Line: Conversa de Homem III: “Por que lutamos”

 

 

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s