Histórias da Colina Fraser – Capítulo 01: Olhos de Uísque

E se Faith não morresse? E se não houvesse tantos estupros? Sem 20 anos de separação como tudo seria? Sou uma apaixonada pelo universo Outlander, mas há trechos e acontecimentos que eu nunca me conformei, então usando da minha liberdade poética escrevi da forma como eu gostaria que tivesse acontecido. Porque amo Claire, Jamie e esse amor atemporal deles. Permita-se porque é só imaginação!

Colina Fraser – Primavera de 1772 na Carolina do Norte.

Jamie olhou para o cesto dentro do rio e que agora estava cheio de trutas que ele havia pescado, isso depois dele ter consertado o tampo do poço que quando passou e foi tomar água percebeu que estava empenado e que precisava de reparo, assim como o portão do celeiro e o banco que ele havia feito e que ficava embaixo do carvalho na horta de Claire.

Sorriu ao pensar em Claire, ajoelhada com as mãos enfiadas na terra, enquanto ela plantava algo novo ou retirava alguma erva daninha. Ele quase podia ver a gota de suor caindo pelo seu pescoço e fazendo com que alguns fios dos seus cabelos castanhos grudassem em seu colo. Logo aquela mesma gota de suor desceria mais um pouco alcançando o monte redondo e claro dos seios dela.

Jamie balançou a cabeça sorrindo e pensando em como ele secaria aquela e muitas outras gotas de suor que desceriam pelo corpo de Claire. Olhou para o céu e pensou que logo o entardecer viria. Recolheu o material de pesca, o pescado e saiu feliz ao encontro de Claire.

Enquanto, ele fazia o caminho de volta para a Casa Grande, Jamie pensava em como era feliz com a sua Sassenach e com a família que eles haviam formado. Os filhos de sangue e os de coração, aqueles que agora não estavam tão perto. Os netos, sobrinhos e amigos. E Claire, a sua luz e o seu lar.

Jamie passou pela horta de Claire, tudo lá estava quieto e com o portão fechado. Somente o ridículo espantalho que Brianna fez e colocou lá para afastar os pássaros que devoravam as plantas que Claire cultivava, montava guarda. Ele sorriu ao ver o espantalho vestindo uma velha calça de Roger Mac, uma das suas velhas e remendadas camisas e também um dos seus rotos chapéus que ele usava na lida, mas nada disso parecia incomodar o grande cardeal vermelho que agora dormia em cima do chapéu do espantalho.

Quando chegou perto da sala que servia de consultório de Claire, ele ouviu o barulho de ervas sendo trituradas, da água fervendo, cheiros de arnica, poejo, malva, melissa, guaco, banha de urso e as vozes delas.

Ele deixou sem fazer barulho os peixes e toda a parafernália de pesca encostados na porta, e entrou silenciosamente observando as duas mulheres que trabalhavam em total sintonia. Claire jogava um líquido verde em um vaso e que pelo cheiro devia ser tintura de arnica. Estava com os cabelos presos no alto da sua cabeça, mas vários cachos teimosos caíam em sua testa e pelo seu pescoço. Estava corada e sorria enquanto falava.

– Sim minha querida, continue triturando mais um pouco as sementes de poejo. Depois que elas forem misturadas à banha de urso, será um ótimo repelente contra as picadas de insetos.

– Mamãe os insetos não gostam do nosso sangue… você sabe disso.

Jamie olhou com orgulho para a jovem que era um pouco mais alta do que Claire. Ela possuía o mesmo formato dos olhos dele, mas a cor era a mesma de Claire, olhos de uísque. Os cabelos estavam soltos e caíam até a metade das costas, vermelhos como os dele e da sua irmã, mas que possuíam os mesmos cachos encaracolados da sua Sassenach. Aliás, elas possuíam os mesmo gestos e trejeitos, a mesma teimosia, a mesma paixão pela vida e o mesmo dom da cura.

– Papai!

Jamie abriu os braços e abraçou feliz a sua filha que correndo foi ao seu encontro.

– Humm… você foi pescar? Está cheirando a trutas e as folhas mortas que ficam no lodo do rio.

– Cada dia ela se parece mais com você Sassenach – disse Jamie sorrindo para Claire, enquanto dava um beijo no topo da cabeça de sua filha. – Cheirando tudo como um cão perdigueiro… – ele parou ao ver a cara indignada de Claire e continuou com um sorriso: – E tão linda quanto você Mo Nighean Donn.

– Como sempre um gentleman. – disse Claire sorrindo.

– Sim, eu fui pescar – falou Jamie olhando para a sua filha com amor. – Faith, M’annsachd – Minha benção – .


– Hummm… diga de novo – falou Claire enquanto beijava o peito de Jamie e provocava arrepios enquanto fazia com que o mamilo dele ficasse entumecido.

– Dizer o quê? – disse Jamie abrindo só um pouco os olhos, mas passando as mãos pelas suas costas e sorrindo ao perceber  que a pele dela ficava arrepiada. – Você já sabe de cor Sassenach.

– Diga…

– Hum, você é linda minha Sassenach e tem a bunda mais redonda  que já vi. – Jamie olhou nos olhos de Claire e a beijou enquanto agarrava com força a parte anatômica citada e tão aclamada. – Eu desejo e a amo muito!

Eles fizeram amor sem pressa, com muito prazer e com cada um explorando o corpo do outro.

Sassenach

– Hum… – resmungou Claire já sonolenta.

– Eu gosto quando você vem por cima de mim e me deixa explorá-la e sugá-la, ao mesmo tempo em que você cuida de mim e me dá prazer com a sua boca.

– Eu também gosto muito Jamie.

– Ah, e a visão da sua bunda… branca, redonda e lisa – disse suspirando. – Me deixa sem ar.

– A sua também não deixa nada a desejar Jamie. – Falou Claire dando um tapinha na redonda e musculosa bunda dele.

Faith tem a mesma cor que você Sassenach, os mesmos olhos e cabelos. – Ele disse enquanto passava o dedo pelo rosto dela e descia para os cachos anelados.

– E Brianna e William são iguais a você – Claire levantou a cabeça e beijou a ponta do nariz dele, provocando cócegas que o fizeram sorrir. Ela então deitou a cabeça no peito dele e continuou: – Inclusive na teimosia e no mau gênio.

Ficaram assim por um tempo. Ela já estava quase dormindo, mas havia algo que inquietava Jamie. Ele não conseguia dormir e por isso ela também não. A vela ainda estava acesa, Claire levantou a cabeça e perguntou:

– Qual o problema Jamie? – falou levantando uma sobrancelha.

Sassenach… eu sei que você não gosta de falar e de lembrar como foi o nascimento de Faith – ele respirou mais fundo e ficou um tempo quieto, para só depois continuar. – Mas você pode contar mais uma vez…

Claire respirou profundamente. Não era uma lembrança que ela gostava de reviver, afinal, ela e a filha quase morreram. Mas haviam vencido e foi o amor de Jamie que fez com que ela lutasse pela vida.

Faith Janet Fraser Randall  nasceu pelas mãos de madre Hildegarde no L’Hôpital dês Anges em uma manhã úmida de maio… – Claire ficou quieta e só percebeu que estava chorando quando Jamie enxugou as lágrimas que caíam dos seus olhos. – Naquele dia eu pensei que tudo estivesse perdido… eu, você, nossa filha, nós… mas o seu amor me trouxe de volta à vida.

Fanfic | Capítulo 2

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


3 comentários sobre “Histórias da Colina Fraser – Capítulo 01: Olhos de Uísque

  1. Adorei essa ideia! Adoro Fanfics e uma desse mundo Outlander então…. Simplesmente amei! Principalmente sem as partes mais tristes. Esperando ansiosamente pelo próximo capitulo. Bjs! :*

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s