Livro vs Série – 4×04 – Common Ground

Adentramos ao quarto episódio e, diferente dos outros, que observamos algumas mudanças no conjunto como um todo, nesse episódio tivemos um conjunto de mudanças. Como assim você pergunta? Até o momento esse foi o episódio com as maiores mudanças de adaptação do livro para série. Mas isso não é algo negativo. As mudanças fizeram total sentido para adequar a linguagem televisiva e também para a narrativa da série, além e trazer algo a mais para quem leu os livros se surpreender. (Eu amei!)

Confira nossa resenha: Outlander:4×04 – Common Ground

Vamos começar com toda a sequência de Wilmington, que inclui a assinatura do tratado e conversa com o governador. Essa passagem não existe no livro. O tratado foi sim assinado, mas não é descrito no livro. E eles não descem as montanhas, é John Quincy Myers que traz provisões necessárias junto com Duncan (amigo de Jaime, que não existe na série), que fica encarrado de recrutar os colonos. Na série, a missão fica a cargo de Fergus, o que faz sentido, visto a confiança de Jaime no filho adotivo. Temos aqui uma pequena adequação para manter sentido narrativo da série, visto que não temos o suporte literário para dar entendimento aos fatos ocorridos.

Outlander Season 4 2018

Outra grande diferença foi toda a narrativa ligada aos índios. De início, o povo retratado na série são os Cherokee, que nos livros são mencionados, mas a tribo que os Frasers encontram são os Tuscarora, que quase foram extintos devido a guerra. Apenas uma pequena adaptação narrativa. Vale destacar que os atores são todos nativos americanos. Continuando, a cena do urso, no livro, é um urso de verdade que ataca Jaime e Claire quando ainda estavam sozinhos, porém, com muito esforço, Jaime consegue mata-lo. É quando surgem três índios, estavam caçando o animal. Aqui há hesitação, conhecimento e um primeiro passo de amizade. Veja um trecho:

Os índios nos examinaram com um vivo interesse que era mais do que retribuído. Eram três; um mais velho, cujo topete enfeitado de penas era generosamente entremeado de cabelos grisalhos, e dois mais jovens, talvez com vinte e poucos anos. Pai e filhos, pensei. […]
O homem mais velho se aproximou e apontou com as sobrancelhas suspensas; primeiro para a faca que estava aos pés de Jamie, depois para o urso morto. Jamie balançou a cabeça, confirmando modestamente.
— Mas não foi fácil — ele disse.
As sobrancelhas do índio ergueram-se mais ainda. Em seguida, ele abaixou a cabeça, as mãos espalmadas em sinal de respeito. […]
Mesmo agora, ele conversava com eles de modo muito natural, explicando com gestos largos como o urso nos atacara e como ele o matara. Eles o seguiam com ávida atenção, com exclamações de admiração em todos os momentos certos. Quando ele pegou o que restou do peixe massacrado e demonstrou meu papel nos acontecimentos, todos olharam para mim e sacudiram-se de risadinhas.
Olhei furiosamente para os quatro.
— O jantar — eu disse bem alto — está servido.
Compartilhamos uma refeição de carne malpassada, broas de fubá e uísque, o tempo inteiro observados pela cabeça do urso, empoleirada cerimoniosamente em sua plataforma, os olhos mortos embaciados e gelatinosos.
Sentindo-me ligeiramente embotada, recostei-me contra o tronco caído, ouvindo a conversa sem prestar muita atenção. Não que eu entendesse muita coisa do que estava sendo dito. Um dos filhos, um mímico consumado, fazia uma animada interpretação de Grandes Caçadas do Passado, representando alternadamente os papéis de caçador e presa e com tanta propriedade que até eu não tive nenhuma dificuldade em diferenciar um cervo de uma pantera.”

Outlander Season 4 2018

Na série, em seu primeiro contato, os índios só observam, sem qualquer interação. Na TV, também é acrescido a cena da demarcação da terra, que no livro não é descrita, que é mal vista pelos nativos, o que gera um conflito interessante. Só então o urso aparece, e é quando descobrimos que na verdade é um homem que vive como urso, após ter sido banido da tribo. Um ataque de um urso de verdade seria difícil de ser reproduzido, e no fim tivemos mesma conclusão do livro: Jaime corajosamente enfrenta o perigo, derrota o inimigo e conquista o respeito do povo indígena. A série conseguiu passar emoção, e surpreender, de certa forma, quem leu os livros.

De volta ao presente, na série temos Roger encontrando informações sobre a Fraser’s Ridge, e se aprofundando no assunto para informar Brianna, com quem não falava desde o festival. Um primeiro passo para uma reconexão entre eles. Posteriormente, vemos Fiona informando sobre a morte do casal Fraser, o que Roger decide guardar em segredo, até quando ele tenta novo conato com Bree e descobre que ela provavelmente fez o que ele tentou evitar. Nos livros, tudo acontece de forma diferente. Agora já tivemos uma passagem de tempo, Roger e Bree mantém um relacionamento a distância, e ele buscou informações sobre os pais dela, mas não teve sucesso. Acidentalmente, ele se depara com o obituário em um livro enquanto busca outras informações. No livro, as mortes datam de 1776. Ele então decide esconder a informação e tirar a ideia da busca da cabeça de Brianna, uma vez que sabe que ela vai tentar voltar e mudar a história se souber. Veja o trecho:

Fora o mero acaso que o levara a encontrar a notícia. Estava procurando a letra de antigas baladas para acrescentar ao seu repertório, folheando um livro de canções folclóricas. Uma ilustração mostrava a página do jornal original onde uma das baladas fora publicada pela primeira vez e Roger, folheando distraidamente, se deparara com as notas arcaicas publicadas na mesma página de jornal, seu olhar atraído pelo nome ‘Fraser’. […]
Nunca mentira para ela. Mas o impacto do choque e da dor diminuía lentamente, à medida que o embrião de um plano começava a se formar em sua mente. Levantou-se e enrolou a toalha na cintura.
Uma carta não seria a solução. Teria que ser devagar, um processo de sugestão, de delicada dissuasão. Achou que não seria difícil; ele não achara quase nada em um ano de pesquisa na Escócia, além do relato do incêndio da gráfica de Fraser em Edimburgo — estremeceu involuntariamente à ideia de chamas. Agora ele sabia por quê, é claro; devem ter emigrado logo depois, embora ele não tivesse encontrado nenhum vestígio deles nos registros de navios que pesquisara.
Hora de desistir, ele iria sugerir. Hora de enterrar o passado — de deixar os mortos descansarem. Continuar a procurar, diante de nenhuma evidência, seria quase uma obsessão. Ele iria sugerir, muito sutilmente, que não era saudável esse olhar para trás — agora era a hora de olhar para frente, para não perder sua vida numa busca inútil. Seus pais não iriam querer isso para ela.

Outlander Season 4 2018

Na série, ele tenta contato com a Bree de novo, e descobre que estaria na Escócia visitando a mãe, e logo liga os pontos sobre o que ela pode ter descoberto sozinha e decidido fazer (pois sabe onde, ou melhor quando a mãe dela está). Nos livros, após algum tempo, Roger recebe uma correspondência de Brianna, pedindo que ele guarde alguns de seus pertences pessoais. Ele suspeita do que ela pode ter feito, entãp tenta entrar em contato e não consegue. Então ele liga para Joe Abernathy (que no livro sabe de toda a história), que informa que Bree havia ido para Escócia encontra-lo há algumas semanas. Juntos eles chegam a conclusão que Brianna pode ter partido para uma aventura maior ainda. Vejam o trecho:

Espere, deixe-me ver… sim, isso mesmo, meu filho Lenny levou-a ao aeroporto… quando? Sim, terça-feira… dia 27. Está dizendo que ela não chegou aí? — A voz do dr. Abernathy elevou-se, agitada.
— Não sei se ela chegou ou não. — A mão livre de Roger estava cerrada com força. — Ela não me disse que viria. […]
— Dr. Abernathy — disse pausadamente. — É possível que Brianna tenha ido ao encontro da mãe… de Claire. Diga-me… sabe onde ela está?
O silêncio desta vez estava carregado de cautela.
— Ah… não. — A voz de Abernathy chegou devagar, relutante e cautelosa. — Não, receio que não. Não exatamente.
Não exatamente. Bela maneira de colocar o problema. Roger passou a mão pelo rosto, sentindo os pêlos da barba por fazer arranharem a palma.
— Deixe-me fazer-lhe uma pergunta — Roger disse cuidadosamente. — Já ouviu o nome Jamie Fraser?
A linha em sua mão ficou completamente muda. Então, veio um profundo suspiro ao seu ouvido.
— Oh, Santo Deus, Maria Santíssima! — exclamou o dr. Abernathy. — Ela fez isso. Você não teria feito o mesmo?

As adaptações das sequências do Roger são justificadas por não termos toda a base literária como suporte para entender o contexto, além de fazer sentido dentro do contexto narrativo da série.

Então é isso Sasses. Houve muitas mudanças nesse episódio, mas como apontamos, foram positivas no modo geral, uma vez que estão acrescentando muito mais conteúdo para a série, além de trazer algumas surpresas para nós leitoras. E você gostou do episódio? Sentiu falta de alguma cena? Conta pra gente!

 

4 - Os Tambore do Outono VU

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.

 


Um comentário sobre “Livro vs Série – 4×04 – Common Ground

  1. Este capítulo foi emocionante .No momento que o Roger vê o mapa e a escritura das terras até chorei de emoção.Já li até o livro 8 , estou relendo novamente , mas a série está muito bem feita , passando muita emoção mesmo para quem conhece a história .Toda a equipe está de parabéns pela qualidade do trabalho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s