Outlander: 4×07 – Down The Rabbit Hole

resenhas

Cedo ou tarde, você vai aprender, assim como eu aprendi, que existe uma diferença entre CONHECER o caminho e TRILHAR o caminho. – Morpheus – Matrix

 

Em Outlander a simbologia do coelho sempre esteve presente. Seja no episódio 3×01 em que Jamie está agonizando no pântano de Culloden cercado de corpos e vê um coelho, para depois ter a visão de Claire. Quando Claire coloca Brianna no berço junto do seu brinquedo preferido – um coelho de pelúcia -, depois quando Fergus tem a sua mão cortada pelo odioso casaca vermelha e Jamie está caçando um coelho. Claire luta contra uma epidemia dentro do navio inglês e tem o fiel e inseparável Elias como companhia, e quando ele vê Claire desanimada com a lentidão para a melhora dos pacientes e as muitas mortes, Elias dá para ela um pé de coelho que ele acredita que trará sorte a ela e que pertenceu a sua mãe falecida. E mais recente quando Claire conversava com a sua amiga índia  Adawehi, há um coelho em cena no momento em que Claire fala em Brianna e quando a sábia curandeira avisa que Brianna está ali.

O título do episódio 4×07 é Down The Rabbit Hole e para descer até o fundo da toca do coelho, geralmente é necessário que façamos algo que não é fácil e nem confortável, abrir mão de velhas crenças e considerar que há algo que você ainda não considerou, algo nas entrelinhas que você esperou a vida toda para descobrir o sentido, mas que o seu pré-conceito tem bloqueado e que para que você descubra, será preciso libertar a sua mente. Então, munida de uma dose a mais de empatia vamos para mais uma análise sobre o que essa toca do coelho nos trará.

Outlander - Season 4

Brianna atravessou as pedras e mesmo se preparando enfrentou algumas atribulações. Bree é do futuro e estudou um pouco sobre a época, clima, costumes, ouviu de sua mãe sobre como era viver no século XVIII, mas uma coisa é ler e ouvir, e outra é vivenciar tudo isso por mais preparada que você esteja. Confesso que eu sou Brianna em minhas aventuras em trilhas e acampamentos por aí, e só não saio rolando ribanceira abaixo porque sempre tem uma alma boa para me ajudar. Então, eu compreendo totalmente o perrengue que deva ser alguém por mais preparada, corajosa e inteligente que é, se aventurar em um ambiente totalmente desconhecido do seu. Que benção esses palitos de fósforos que ela trouxe, mas que farão uma destruição, sic.

Machucada, com frio e longe de chegar ao seu destino, Brianna é resgatada por uma gentil Laoghaire, que trata Brianna como se fosse uma filha dela. Sim, os senhores escritores mudaram muito o enredo e talvez por não contarem com a presença de Laura Donnelly como a incrível e necessária Jenny, colocaram os dois personagens mais rejeitados de OutlanderLaoghaire e Frank – em evidência mostrando um outro lado que não tínhamos acesso ou que não queríamos ver.

Laoghaire é gentil com Brianna e realmente a trata pensando em como seria se uma das suas filhas precisasse de abrigo. Ela conta que os homens não são confiáveis e que não pode contar com eles. Conta sobre o último marido que a abandonou por uma bruxa prostituta, pois ela o enfeitiçou e fez com que o homem que era apaixonado, que até levou uma surra por ela e que roubava beijos dela, simplesmente ficasse cego de paixão pela bruxa. Fala que eles eram uma família feliz e que tudo isso acabou depois que ele a abandonou. Mas a gentileza de Laoghaire termina no momento em que ela descobre que a mãe de Brianna é Claire. Primeiro ela destila o seu fel afirmando que Claire mentiu e que ela voltou porque Jamie nunca quis um filho. E quando ela não consegue  se controlar mais, ela estoura todo o seu ódio por Claire e Brianna, confirmando que ela quis que Claire tivesse morrido na fogueira e que denunciaria Brianna por bruxaria. A linda Joan liberta Brianna e a leva para Lallybroch.

Eu vejo os livros e a adaptação da série como duas obras diferentes, e geralmente gosto muito dessas mudanças – leia-se aqui Murtagh vivo – , mas essa mudança em especial não foi bem-vinda. É válido mostrar o outro lado de Laoghaire, mostrar que por trás daquela mulher cheia de ressentimento e inveja, existe alguém gentil e que sonha com uma família. Busquei de muita empatia para olhar Laoghaire com outros olhos e até consegui enxergar uma garota que ficou apaixonada por um rapaz encantador que a tratou bem, que não conseguiu admitir a rejeição e por isso criou muito ressentimento. A vida não foi boa para ela, mas ela conseguiu criar e educar bem as filhas. Mais tarde reencontrou o seu objeto de desejo vulnerável, mas esse homem não era o mesmo de antes, ele precisava de um objetivo na vida, criar e ter um vínculo com as meninas o fez reviver, porém ele não conseguia amar novamente. Na visão de Laoghaire, eles tinham uma vida feliz porque tinha um homem para sustentá-la e criar suas filhas. Mas essa visão era distorcida e Laoghaire mostrou que a vida não ensinou nada para ela, porque  ela deseja a morte de Claire, que Jamie pague a sua pensão até a morte; e até prejudicar Brianna a quem havia tratado com tanto carinho.  Laoghaire é mimada e má, porque ela quase matou Claire e jamais se arrependeu disso. Foi interessante abordar isso, o que não foi legal foi ter ficado tanto tempo nessa enrolação. Perdeu-se um tempo precioso de Brianna em Lallybroch , eu sei que Jenny não estaria presente, mas tem os primos e todas as recordações de lá, como a avó de Brianna. O encontro com Ian foi frio e deixou a desejar. Uma pena.

Outlander - Season 4

Roger foi ao encontro de Brianna através das pedras e procurando passagens de navio para chegar à América, ele acabou encontrando um velho conhecido Stephen Bonnet que agora é o capitão do navio e contrata Roger para trabalhar. Roger percebe o quanto Bonnet é cruel quando separa os passageiros que estão doentes e os joga ao mar. Roger encontra a sua tatatatatatatatatatatatatataravó Morag Mackenzie que tem um bebê chamado Jemmy  – guardem esse nome lindo – e que está com uma alergia, para salvá-los ele os esconde e leva comida para eles, mas é pego por Bonnet que tira no cara e coroa para saber se Roger vai viver ou morrer. Ainda bem que dessa vez Roger estava com sorte. Richard Rankin foi muito bem durante todo o episódio e Edd Speleers está simplesmente maravilhoso como o vilão desta temporada.

Durante todo o episódio aconteceram vários flashbacks em que Brianna trazia a presença de Frank. Já comentei em outras resenhas que o Frank da série é com certeza bem melhor que o Frank dos livros. Tanto nos livros como na série, Frank é um homem que ama demais a sua filha e que também ama ou amou muito Claire. Na série, ele é altruísta, o que não acontece nos livros. Rever Tobias Menzies atuando sempre é algo prazeroso porque ele dá um show de atuação e ele fez uma boa parceria com Sophie Skelton. Foi uma forma diferente de ver como Brianna via o casamento, as discussões e até o divórcio dos pais. Para ela, Frank sempre será mais do que o pai que a criou, mas um herói. E sinceramente, eu tenho empatia por esse Frank da série e consigo sentir tristeza por ele saber que a mulher que ele sempre amou, um dia vai retornar e morrer depois, mas ao lado de outro homem. Apesar da empatia que tenho, eu ainda sinto que ele não foi leal ao querer levar Brianna com ele para a Inglaterra e, gostei muito de ver que Brianna é quem decide o que quer em sua vida. Ela prefere descobrir por si mesma como é o seu pai genético, ainda mais depois das mentiras contadas por Lerê. Esse reencontro, não será fácil. Duas pessoas teimosas e esquentadas que não se conhecem com certeza irão se estranhar. O Jamie retratado é aquele descrito pelos olhos apaixonados da sua mãe, mas que agora essa imagem aparece um pouco arranhada. Para Jamie, Brianna é ainda uma menina e não a mulher independente e empoderada, com certeza será algo difícil, no entanto assim é que são feitos os relacionamentos.

Quando Brianna entrou e teve que descer fundo a toca do coelho, ela e nós percebemos que só há uma maneira segura para entender como o mundo funciona – rastreando o passado e fazendo a conexão com as peças que faltam. Foi o momento dela dizer adeus ao seu pai. Descer pela toca do coelho é descobrir um mundo completamente diferente daquele que ela conhece. Será a oportunidade dela de conhecer o real, reencontrar a sua mãe e mesmo ainda se sentindo uma Randall, finalmente encontrar com o seu Pa, e tornar-se uma Fraser. Afinal, papai Frank a abençoou. Desta temporada, este foi o episódio mais fraco até agora, pois o achei arrastado e como já falei não gostei tanto de algumas mudanças, talvez tenha criado muitas expectativas, porém continuo ansiosa pelo encontro com Jamie, Claire e Roger. 

OUT¹: Momento mais emocionante do episódio foi a cena em que BriannaFrank no porto como se a abençoasse nesse novo caminho.

OUT²: Meu Jesus Cristinho, mas o que é que acontece com o figurino do Roger? Ele sem barba e com aquela roupa lembrava em muito Peter Pan (minha amiga Silvia que notou a semelhança). E pra piorar ele encontrou no caminho um Capitão Gancho totalmente pegável.

OUT³: Entendo que esse episódio era de Brianna e o momento dela, mas não há como não sentir falta de Jamie e Claire, eles são a alma de Outlander.

 


2 comentários sobre “Outlander: 4×07 – Down The Rabbit Hole

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s