Por que Outlander usou a música mais triste que existe para terminar o penúltimo episódio?

Por Lynette Rice

Alguma coisa nos pareceu vagamente familiar no final do episódio do último domingo.

Quando Roger (Richard Rankin) retorna para a aldeia Mohawk depois de tentar escapar, ele encontra o padre jesuíta que havia se tornado seu amigo sendo queimado em uma fogueira. Nenhuma palavra foi trocada entre Roger e os Mohawks, mas palavras não foram necessárias: a triste melodia se encarregou de transmitir a mensagem.

A música é “Adagio for Strings”, um trabalho emocionante de Samuel Barber, que se tornou a canção triste mais tocada quando um filme ou programa de TV pretende exibir uma cena triste, ou melhor, uma cena super triste. Composta nos anos 30, também foi usada em funerais de dignitários na vida real, mas a sua utilização mais marcante ocorreu em 1986, no filme de guerra Platoon, durante a icônica cena de morte de Willem Dafoe.

Os produtores de Outlander não se interessaram pela composição popular para o final de “Providence”. Ela foi descartada no primeiro corte com a sugestão da diretora Mairzee Almas para ser usada como música provisória. Na maioria dos casos, a música provisória é substituída por uma composição nova ou diferente. Mas, quando os produtores viram a cena, eles sabiam que Adagio for Strings tinha de ficar.

“Nós todos dissemos ‘Uau’”, disse a produtora executiva Toni Graphia à EW. “Quero dizer, nós estávamos soluçando. Estávamos simplesmente soluçando. A música era perfeita. Às vezes, você é acusada de se apaixonar pela música provisória, ‘Não se apaixone pela música provisória, porque ela vai mudar’ porque ela é realmente apenas uma música provisória. Mas, esta foi uma daquelas raras ocasiões quando dissemos, ‘Quer saber? Esta música é perfeita para a cena’. Nós nos apaixonamos por ela e não queríamos abrir mão dela”.

Isto não quer dizer que eles ignoraram o longo legado da melodia. “Algumas pessoas na sala de edição disseram, “Vocês sabem que esta é a música do Platoon. Foi há tanto tempo. A música me parecia familiar, mas eu não tinha feito a conexão com Platoon porque eu simplesmente não me lembrava disso. Então, eu pensei, ‘Será que as pessoas vão se lembrar do filme? Será que vão dizer, Ah, sim, não é a música do Platoon?’ Finalmente, decidimos que iríamos usá-la porque parecia perfeita para nós.”

Fonte: EW em 20/01/2019

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.

 


Um comentário sobre “Por que Outlander usou a música mais triste que existe para terminar o penúltimo episódio?

  1. Por ser formada em Música, sou maestrina, não associei o ADÁGIO DE BARBER a nenhuma cena anterior de filme ou não, já conhecia a obra triste por excelência, e acho que não se deve comparar a utilização da composição com outra película. A música é universal, não pertence mais nem ao compositor ( só os direitos de execução ) no momento em que foi colocada no papel e ganhou salas de concerto e gravações. Foi sensacional a escolha, parabéns a equipe de Outlander, SEMPRE, pelo bom gosto na escolha da trilha sonora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s