Sam Heughan fala sobre o significado do Finale de Outlander para a 5a. temporada: “Vai ser difícil.”

E mais, podemos esperar que ele e Balfe fiquem mais envolvidos com o andamento da série

Por Julie Kosin

Starz Aimee Spinks

A equipe de Outlander optou por um suspense inesperado para terminar a 4a. temporada, criando um grave conflito interno para Jamie (Sam Heughan) na temporada seguinte. Nos momentos finais do episódio, Jamie recebe uma ordem do Governador Tryon para encontrar e executar seu amado padrinho, Murtagh, por conta do seu envolvimento com os rebeldes.

Trata-se de um final revoltante para uma temporada cheia de mudanças na série. Aquilo que havia se iniciado como o sonho de Jamie e Claire de se estabelecer em uma propriedade tranquila, em uma região remota da Carolina do Norte, acabou se tornando um caos: o reencontro inesperado de Jamie com Murtagh tornou-se fatal quando ele percebeu que as atividades políticas do padrinho desafiavam diretamente seu relacionamento com Tryon. Mais tarde, a chegada de Brianna vinda do futuro para trazer notícias sobre a morte iminente de Jamie e Claire, bem como um novo e traumático drama (além do desaparecimento do seu noivo) para as vidas já tumultuadas de Jamie e Claire.

O final da 4a. temporada permitiu um breve período de paz aos personagens principais de Outlander antes de ser inesperadamente interrompido pela carta de Tryon, o que cria muitas complicações para a crescente família Fraser na 5a. temporada. Heughan fez um rápido resumo dos conflitos e decisões da 4a. temporada para BAZAAR.com, e também falou sobre o que devemos esperar já que o fantasma da Revolução Americana se aproxima.

Harper’s BAZAAR: Na 4a. temporada, Jamie e Claire testemunham muitos momentos sofridos da história americana que já é bem conhecida por Claire: escravidão, o tratamento dispensado aos povos indígenas, a revolução iminente. Como é representar um personagem que vai aprendendo a verdade sobre estas ramificações históricas em tempo real?

SH: É como aconteceu nas primeiras temporadas, quando Jamie conheceu Claire. Ela lhe falou sobre Culloden e todas aquelas histórias mas, desta vez, as coisas acontecem em escala bem maior. Ele acredita nela completamente, não há o que questionar. Ela já esteve certa em tantas ocasiões. Eles tentaram mudar a história antes mas, tiveram algum sucesso? Não muito. Nesta temporada eles estão muito conscientes do que está por vir. Está prestes a acontecer, a Guerra Revolucionária já está ali. Você consegue senti-la, as nuvens negras já cobrem os céus. O cenário já está preparado.

Lá pelo final da temporada você percebe que não importa o quanto tentam evitar, eles são praticamente tragados para dentro da revolução. A nova temporada será realmente empolgante porque ela vai trazer todo esse mundo e nós vamos conhecer os lados distintos da política com Murtagh… Vai ser difícil. Não será a primeira vez que eles precisam lidar com esse tipo de coisas. A princípio, Jamie acredita que pode lidar com a situação. Ele pode lidar com o destino e com a história, mas não sem algum desgaste.

Starz Aimee Spinks

HB: Como você acha que Jamie, um homem que ama tanto a Escócia, vai lidar pessoalmente com essa transição para a América, um novo país e um ambiente completamente diferente?

SH: Ele é o outlander agora. Jamie e Claire são os outlanders e as Sassenachs. Mas o que é surpreendente é que Jamie se sente em casa na América. Ele vê a terra, vê as semelhanças, mas também vê a sua grande extensão. Mesmo com os nativos americanos, ele encontra alguma similaridade com os Highlanders: quem eles são, sua cultura, sua maneira de agir. Assim tem início a confiança e o respeito entre eles. É uma sensação de lar, de pertencer, mesmo sendo imigrantes.

HB: Depois de quatro temporadas trabalhando com Caitriona Balfe, vocês estão mais sintonizados? Como o relacionamento de vocês evoluiu?

SH: Nosso relacionamento evoluiu, mas sempre houve confiança, compreensão mútua. Nós nos completamos. Trabalhamos de formas diferentes, os dois possuem suas falhas e seu lado positivo, mas isso nos ajuda a crescer. Nós esperamos poder exercer mais influência sobre nossos personagens e sobre o enredo na próxima temporada, esperamos poder participar da criação. Nós costumamos nos envolver e em algumas temporadas mais do que em outras, mas estamos conversando com a Starz e a Sony neste exato momento. Vamos ver… Sempre quisemos fazer parte da criação e pode dar sugestões sobre a travessia e sobre a história, e também ser os guardiões dos nossos personagens e poder proteger tudo isso.

 HB: Você pode falar um pouco sobre as cenas entre Jamie e Brianna nesta temporada?

SH: Para mim, esta temporada foi uma história de amor por Brianna. Jamie e Claire, eles estão bem, tudo vai bem, isso não muda mais. Mas, para Jamie, é sobre não ter feito parte da vida de Brianna. Ele está tentando encontrar uma maneira de modificar isso moldando a sua terra para deixá-la de herança para ela. De alguma forma, ele quer que ela viva e cresça, então, quando ela aparece no século XVIII, bem, é incrível, não é? Como você interpreta isso?

Starz Aimee Spinks

HB: Como você interpretou isso?

SH: Na verdade, houve uma certa pressão, provavelmente por parte dos nossos produtores, e eles estavam tensos sobre as coisas que eu deveria sentir. Eles desejavam que tudo fosse correto. Mas você precisa ser verdadeiro. Eu acho maravilhoso. Sophie está fantástica, ela está muito bem nesta temporada.

Jamie está muito empolgado com a ideia de ser pai, é claro, mas você sabe, o fantasma de Frank está ali. É evidente. Mas Jamie consegue ajudá-la (depois do estupro). Eles começam a criar laços já que Jamie viveu uma experiência semelhante com Black Jack Randall à que ela viveu com Bonnet. Esta é provavelmente minha cena favorita com Sophie.

HB: Você pode falar um pouco sobre a evolução de Jamie na temporada?

SH: O final do episódio na praia, quando Jamie e Claire finalmente se reencontram depois de um naufrágio nas costas da América, tudo se resume em oportunidade e liberdade. É muito positivo. Há esperança. Nós vemos Jamie no início da temporada lutando para proteger seus entes queridos. Ele agrega à sua família Lesley e todos os escoceses, ele sobrevive graças à sua inteligência e tenta proteger todos que estão a sua volta. E, então, aos poucos, nós o vemos envolvendo-se com política.

Desde o início, é assim que vemos a Colina Fraser: um acampamento, alguns galhos, um celeiro. Mas, no final da temporada já é uma comunidade próspera. E você acompanha a construção do cenário e logo vê animais e gerações diferentes dos Frasers por toda a parte. É maravilhoso ver tudo isso. Ele está prosperando, mas ainda usa todas as habilidades e experiências que adquiriu nas temporadas anteriores, como quando foi um político na 2ª. temporada, por exemplo, ele precisa disso. Como enfrentou Colum e Dougal, toda aquela manipulação. Como ser um líder e um guerreiro e todas essas coisas da 3ª. temporada. Ele tem mais experiência, está mais maduro e usa todo o seu conhecimento para construir a Colina Fraser, seu legado.

Fonte: BAZAAR.com em 27/01/2019

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


2 comentários sobre “Sam Heughan fala sobre o significado do Finale de Outlander para a 5a. temporada: “Vai ser difícil.”

  1. Pingback: ladyvolturi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s