Daily Line: A Vida Na Colina

POSSUI SPOILER DO LIVRO 9 | Leia outros em Trechos da Diana

trechos da diana

#DailyLines #VáDizerÀsAbelhasQueParti #Nãoeunãoseiquandovaisair #provavelmenteemalgummomentoassimqueterminar #estáindobemnoentanto #AVidaNaColina

Perto do meio dia, eu já tinha feito um grande progresso com meus medicamentos, tratado três casos de envenenamento por planta tóxica, um dedo deslocado (causado ao chutar uma mula em um ataque de nervos) e uma mordida de guaxinim (não raivoso; o caçador tinha conseguido derrubar o animal de uma árvore e se aproximou para pegá-lo para só então descobrir que ele não estava morto. Estava bem ruim, mas não infeccionou).

Jamie, no entanto, havia feito muito mais. As pessoas chegavam durante todo o dia em um fluxo constante de curiosidade da vizinhança. As mulheres ficaram para conversar comigo sobre os Mackenzies e sobre os homens que vagavam pela casa com Jamie, retornando com promessas de que viriam para alguns trabalhos diários aqui e ali.

“Se Roger Mac e Ian puderem ajudar a mover a madeira serrada amanhã, os Leslies virão no dia seguinte e ajudarão com as vigas para o piso. Nós vamos colocar a pedra e abençoá-la na quarta; Sean McHugh e dois dos seus rapazes virão assentar o piso comigo na sexta e, então, teremos o enquadramento iniciado no dia seguinte. Tom MacLeod diz que pode separar metade de um dia para me ajudar, e o filho de Hiram Crombie, Joe, diz que ele e seu meio irmão podem ajudar também.” Ele riu para mim. “Se o uísque aguentar, você terá um teto sobre sua cabeça em duas semanas, Sassenach.”

Eu olhei desconfiada para a pedra de fundação e para o céu carregado de nuvens.

“Um teto?”

“Sim, bem, uma cobertura de lona, mais provavelmente,” ele admitiu. Mesmo assim…” Ele se levantou e se esticou, fazendo uma leve careta.

“Por que não se senta um pouquinho?” eu sugeri, olhando para sua perna. Ele estava visivelmente mancando e sua perna se parecia com uma colcha de retalhos nas cores vermelha e púrpura, demarcada pelos pontos pretos do meu trabalho de reparação. “Amy nos trouxe um jarro de cerveja.”

“Talvez um pouquinho, mais tarde,” ele disse. “O que é isso que você está fazendo, Sassenach?”

“Eu vou fazer um unguento de azevinho para Lizzie Beardsley, e depois um remédio para tratar as cólicas do seu bebê – você sabe se ele já tem um nome?”

“Hubertus.”

“Como?”

“Hubertus,” ele repetiu, sorrindo. “Ao menos foi o que Kezzie me disse no outro dia. É uma homenagem ao irmão falecido de Monika, foi o que ele disse.”

“Oh.” O pai de Lizzie, Joseph Wemyss, havia tomado uma alemã de certa idade como sua segunda esposa, e Monika, ao ter seus próprios filhos, havia se tornado uma avó dedicada para a ninhada crescente dos Beardsley. “Talvez eles o chamem de Bertie, para abreviar.”

“Você está ficando sem casca de cinchona, Sassenach?” Ele ergueu o queixo em direção à caixa de remédios que coloquei no chão perto dele. “Você não precisa disso para o tônico de Lizzie?”

“Sim,” eu disse surpresa por ele ter notado. “Eu usei o que tinha três semanas atrás, e não ouvi falar de ninguém que estivesse indo para Willmington ou New Bern que pudesse me trazer mais.”

“Você falou sobre isso com Roger Mac?”

“Não. Por que ele?” perguntei, intrigada.

Jamie inclinou-se para trás contra o pilar, usando uma daquelas expressões notoriamente impacientes, indicando que a pessoa com quem se está falando não é muito esperta. Eu bufei e joguei a planta para ele. Ele a apanhou e a examinou minuciosamente.

“É comestível?”

“Amy diz que as abelhas gostam das flores,” eu disse em dúvida, enquanto colocava um punhado de frutos roxos no meu pilão. “Mas não há uma boa razão para serem chamadas de azevinhos.”

“Ah.” Ele jogou a planta na minha direção e eu me esquivei. “Você mesma me disse, Sassenach, que Roger Mac falou com você ontem que pretendia retomar seu ofício. Então…” ele continuou pacientemente, sem perceber qualquer sinal de compreensão da minha parte, “o que você faria em primeiro lugar, se esse fosse o seu objetivo?”

Eu acrescentei uma grande colherada de gordura de urso pardo no pilão enquanto parte da minha mente se perguntava se deveria acrescentar também um pouco de casca de salgueiro, e a outra parte considerava a pergunta de Jamie.

“Ah, eu disse como resposta e apontei o pilão para ele. “Eu iria ao encontro de todas as pessoas que fazem parte da minha congregação, por assim dizer, e faria com que eles soubessem que Mack the Knife está de volta.”

Ele me lançou um olhar preocupado, mas sacudiu a cabeça expulsando qualquer imagem que eu pudesse ter sugerido.

“Você faria isso,” ele disse. “E talvez se apresentasse às pessoas que vieram para a Colina desde que ele partiu.”

“E em apenas alguns dias, todas as pessoas na Colina e, provavelmente, metade do coro de Salem, estariam sabendo.”

Ele concordou amavelmente. “Sim. E todos saberiam que você precisa da cinchona e você teria o que precisa em menos de um mês.”

Fonte: Diana Gabaldon
Data de publicação: 05/02/2019

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


Um comentário sobre “Daily Line: A Vida Na Colina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s