Livro vs Série – 1×07 – The Wedding

Sassenachs, chegamos ao nosso querido, idolatrado, salve, salve, sétimo episódio. Ele que provavelmente é mais revisto de toda a série (quem compete provavelmente é o 3×06, mas vamos falar dele quando chegar a hora). O Casamento sofreu pequenas mudanças e adaptações, para adequar melhor à série, as quais vamos discutir agora.

Uma diferença interessante acontece logo no início do episódio, quando vemos Claire lembrando-se de seu casamento espontâneo com Frank no cartório. No livro, nossa enfermeira tem um pequeno ataque de ansiedade quando reconhece a igreja na qual vai se casar com Jamie, pois é a mesma na qual foi celebrado seu casamento com Frank. É em meio a essa pequena crise de pânico que ela se dá conta de que não sabia o verdadeiro nome de Jamie. Confira o trecho:

Em meio à garoa e à névoa, avistei a capela projetando-se das urzes. Com uma sensação de completa incredulidade, vi a cúpula arredondada e as estranhas janelas com muitas vidraças pequenas que eu vira na brilhante manhã ensolarada do meu casamento com Frank Randall.
— Não! — exclamei. — Aqui não! Não posso!
— Shh, vamos, shh. Não se preocupe, dona, não se preocupe. Tudo vai dar certo. — Dougal colocou a mão grande sobre meu ombro, produzindo sons tranquilizadores em escocês, como se eu fosse um cavalo arisco. — É natural um pouco de nervosismo — disse para todos nós. A outra mão firme na minha cintura instava-me a continuar subindo a trilha. Meus sapatos afundavam-se na camada úmida de folhas caídas.
Jamie e Dougal caminhavam junto a mim, um de cada lado, para evitar uma fuga. Suas dominantes presenças eram intimidadoras e senti uma crescente sensação de histeria. Duzentos anos à frente, mais ou menos, eu me casara naquela capela, encantada na época com sua natureza antiga e pitoresca. A capela agora estava estalando de nova, as tábuas ainda não estavam assentadas com aquele charme que iria adquirir ao longo do tempo, e eu estava prestes a me casar com um escocês de 23 anos, católico e virgem, com a cabeça a prêmio, cujo…
Virei-me para Jamie, repentinamente em pânico.
— Não posso me casar com você! Eu nem sei seu sobrenome!
Olhou para mim e arqueou uma sobrancelha ruiva.
— Ah. É Fraser. James Alexander Malcolm MacKenzie Fraser. — Pronunciou-o formalmente, cada nome devagar e distintamente.
Completamente perturbada, eu disse, estendendo a mão tolamente.
— Claire Elizabeth Beauchamp.
Aparentemente tomando o gesto como um pedido de apoio, segurou minha mão e enfiou-a firmemente na dobra do seu braço. Assim, irremediavelmente presa, continuei caminhando em silêncio para o meu casamento.

Outra diferença é aliança de casamento. Diferente da série, não foi providenciado nenhum anel, então Jamie improvisou utilizando o anel de rubi de seu pai, que ele mesmo estava usando. Ele explica para Claire posteriormente, prometendo-lhe uma aliança assim que possível. Confira:

Houve uma agitação repentina e, de relance, vi a expressão arrasada no rosto de Murtagh. Mal registrei o fato de que alguém se esquecera de providenciar um anel, quando Jamie soltou minha mão o tempo suficiente para retirar um anel do próprio dedo.
Eu ainda usava a aliança de Frank na mão esquerda. Os dedos da minha mão direita pareciam congelados, descorados e rígidos na mancha de luz azul, quando um largo aro de metal passou pelo meu dedo anular. Ficou solto no dedo e teria caído se Jamie não dobrasse meus dedos e envolvesse minha mão fechada outra vez na sua.
Mais murmúrios do padre e Jamie inclinou-se para me beijar. Era óbvio que ele pretendia apenas um breve e formal toque de lábios, mas sua boca era macia e quente e eu instintivamente me aproximei e correspondi. Percebi vagamente alguns ruídos, gritos escoceses de entusiasmo e incentivo da plateia, mas na verdade não notei nada além da envolvente e cálida solidez dos seus lábios.
[…]
— Ah, me esqueci! Ainda estou com seu anel. — Tirei-o do bolso e o devolvi a ele. Era um pesado aro de ouro, com um cabochão de rubi incrustado. Em vez de recolocá-lo no dedo, abriu a bolsa na cintura e guardou-o.
— Foi o anel de casamento do meu pai — explicou ele. — Eu não o uso sempre, mas hoje… bem, quis homenageá-la arrumando-me o melhor possível. — Ficou ligeiramente ruborizado com essa confissão e fingiu estar às voltas para fechar a bolsa.
— Você realmente me prestou uma grande homenagem — retorqui, sorrindo involuntariamente. Acrescentar um anel de rubi ao fulgurante esplendor de seu traje era desnecessário, mas fiquei sensibilizada com a vontade de agradar que havia por trás desse gesto.
— Vou comprar um que sirva em você assim que puder — prometeu.

Uma adaptação ocorreu em uma das últimas cenas do episódio, quando Jamie presenteia Claire com as pérolas de sua mãe, um momento íntimo de ligação entre os dois. No livro, o presente é concedido antes do casamento, quando eles se encontram para seguir rumo a igreja. A adaptação tornou tudo mais romântico. Veja o trecho:

— Se já terminou, Jamie, podemos continuar — disse ele.
Mas Jamie ainda não havia terminado, ao que parecia. Ignorando a fúria de Dougal, retirou um colar de contas brancas da bolsa. Deu um passo à frente e fechou o colar em volta do meu pescoço. Olhando para baixo, pude ver que era um colar de pequenas pérolas barrocas, aquelas contas de forma irregular que são produto de moluscos de água doce, entremeadas com minúsculas contas de ouro. Pérolas menores pendiam das contas de ouro.
— São apenas pérolas escocesas — disse ele, desculpando-se —, mas ficam lindas em você.
— Seus dedos demoraram-se um pouco no meu pescoço.
— Essas pérolas eram de sua mãe! — disse Dougal, olhando para as pérolas com ar ameaçador.
— Sim — disse Jamie calmamente. — E agora são de minha mulher. Podemos ir?”

Daqui por diante, tudo o que se seguiu foi bem fiel como os diálogos, a entrega e a intimidade conquistada. Algumas sequências que ocorrem na noite de núpcias foram adiadas, como, por exemplo, o pedido de Jamie de sinceridade sempre, mesmo que Claire não pudesse lhe contar tudo. Na série, veremos o mesmo pedido alguns episódios à frente. Com esse voto de sinceridade, Jamie revela sua razão por ter casado-se com Claire, como na série, o principal motivo foi para protege-la de Randall, porém o que adaptação não deixa tão claro é que existem outros motivos para nosso ruivinho ter concordado com o matrimônio.

Confira o trecho:

— Sim, concordo. Eu serei franca. — Seus dedos fecharam-se suavemente sobre os meus.
— E eu lhe darei o mesmo. Agora — respirou fundo —, você perguntou por que me casei com você.
— Só estou um pouquinho curiosa — disse.
Ele sorriu, a boca larga assumindo o humor latente nos olhos.
— Bem, não posso dizer que a culpo. Tive várias razões. E na realidade, há uma, talvez duas, que não posso lhe contar ainda, embora o faça com o tempo. A razão principal, no entanto, é a mesma pela qual você se casou comigo, imagino; para mantê-la a salvo das mãos de Black Jack Randall.
Estremeci ligeiramente à lembrança do capitão e as mãos de Jamie apertaram as minhas.
— Você está a salvo — disse ele com firmeza. — Tem meu nome e minha família, meu clã e, se necessário, a proteção do meu corpo também. O sujeito não vai colocar as mãos em você de novo enquanto eu viver.

Por hoje é tudo. Aqui começa nossa épica história de amor. E você, Sasse, já assistiu esse episódio quantas vezes? Conhecia as diferenças? Gostou da adaptação? Comente!

4 - Os Tambore do Outono VU

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s