Fanfic – Histórias da Colina Fraser – Capítulo 11: Eu voltei por amor!

Fanfic | Cap. 10

-Venha ma chérie que vou apresentá-la aos seus muitos primos e primas – Fergus falou sorrindo e segurando Faith pela mão.

– Sim e você também precisa conhecer Brianna, minha irmã mais nova – Faith respondeu animada e olhando para sua mãe continuou: – Tudo bem mamãe se eu for?

Claire sorriu e acenou afirmativamente com a cabeça para sua filha. Ela ouviu quando Fergus falava de forma não tão baixa assim enquanto saíam pela porta: – “Eles precisam conversar muito e também matar a saudade de tantos anos perdidos. Você não percebe o quanto os dois estão prestes a explodir de tanto desejo?”Claire sentiu seu rosto queimar e andou até a janela olhando para fora, notando que as cabras de Jenny haviam se multiplicado apesar dos anos de penúria após o levante.

Sassenach – ela sentiu a mão quente e firme de Jamie em seu ombro. – Precisamos conversar muito – ele falou baixinho e ela virou de frente para ele.

Claire já o tinha visto antes na sala, mas agora os dois estavam sozinhos. Ela não falou nada, simplesmente levantou a mão e começou a traçar o contorno das feições dele. As suas grossas sobrancelhas vermelhas, a pele que estava mais bronzeada e trazia pequenas manchas do sol, em volta dos olhos e da boca algumas rugas. Os mesmos olhos azuis rasgados de gato com longos cílios de um tom castanho avermelhado, o nariz reto e que agora tinha uma cicatriz que ela não conhecia. Ela demorou um tempo maior nela e perguntou dela sem palavras para ele, enquanto levantava uma sobrancelha.

– Alguns minutos após você sair da cabana e subir até as pedras – Jamie falou dando um sorriso triste. – Havia dois soldados ingleses que a viram e eu lutei com eles, a coronha da arma de um deles atingiu meu nariz e o quebrou.

– E quem o consertou? – Claire perguntou com tristeza ainda tocando o local da fratura. – Ninguém… eu não queria ser tratado, SassenachJamie respondeu baixinho e sem jeito. – Eu queria morrer…

– Mas não conseguiu – Ela falou olhando emocionada para ele e vendo que ele sem jeito dava de ombros para logo depois sorrir para ela. O sorriso também era o mesmo. – É James Fraser, o tempo fez bem para você e ainda é o mesmo guerreiro lindo de anos atrás.

Ela viu quando ele sorriu e despido da máscara que sempre usava, a olhou demoradamente. Então, foi a vez dele de tocar cada ponto do rosto dela. Ela fechou os olhos enquanto sentia o toque quente dos dedos dele em sua pele, até que sentiu ele tocar em seus cabelos e voltou a abrir os olhos para ver que ele também tirava os grampos que prendiam os cabelos dela para deixá-los soltos.

Mo nighean donn Jamie falou emocionado enquanto segurava um cacho comprido e o cheirava para depois beijá-lo. – Eu sonhei tantas vezes durante todos esses anos em fazer isso… – ele falou deixando uma lágrima escorrer pelo rosto.

– Eu tenho alguns fios brancos e… pintei eles antes de vir para que você lembrasse de como eu era… – Claire falou chorando também.

– Eu jamais esqueci de como você era minha Sassenach Jamie falou sorrindo e secando as suas lágrimas para depois secar as de Claire também. – Você continua a ser a mulher mais linda que eu já vi no mundo e não mudou nada, não é a toa que digam que você é uma bruxa, Sassenach.

– Principalmente a sua irmã e a sua noivinha – Claire respirou fundo e não deixou de sentir raiva ao lembrar de Laoghaire falando sobre os beijos que eles trocaram e de como Jamie bolinou a bunda dela. – Será que você não podia arrumar outra mulher para casar?

– E Frank? – Jamie perguntou olhando fixamente nos olhos dela e de forma ameaçadora.

Frank morreu JamieClaire respondeu com tristeza.

– Ah, sinto muito muito – Jamie falou baixinho e ainda olhando atentamente para ela. – Por que você voltou Claire?

– Como assim por que eu voltei? – Claire falou com impaciência.

– Eu preciso saber Claire. Você voltou por mim? Para mostrar para mim que eu tinha filhas e que o meu sacrifício havia valido à pena, ou… foi porque Frank, o seu grande amor morreu?

– O quê? – Claire perguntou sem acreditar e com muita raiva. – Seu maldito egoísta!

– Eu sei que você sempre o amou e mesmo depois de casada comigo tentou fugir para voltar para ele e… – Jamie parou de falar ao sentir uma bofetada em seu rosto. Ele foi pego de surpresa, mas por instinto segurou as duas mãos de Claire.

– Seu desgraçado, quando eu tentei fugir para encontrar Frank, ainda não havia me apaixonado por você. Você não lembra que fui obrigada a me casar com você mesmo sendo casada com ele? E que só voltei daquela vez porque você me obrigou… porque eu estava pronta para morrer com você no campo de batalha! Você acha que tudo foi fácil para mim depois que eu e Faith voltamos? – Jamie tentou responder, mas foi impedido porque Claire continuou falando em um tom mais alto ainda. – Não foi seu desgraçado. Eu quase morri na travessia. Grávida, fraca e com Faith em meus braços. Perdida, sozinha e com o coração despedaçado de dor por ter deixado você. Frank me aceitou porque me amava e principalmente amava as meninas, ele não podia ter filhos, foi a forma de ter uma família, mas eu nunca deixei de amar você e jamais – ela levantou a mão direita e mostrou a aliança de prata que ele mandara fazer anos atrás com a chave de Lallybroch. – Eu tirei essa aliança do meu dedo.

Saga Outlander

– Eu e Frank tentamos retomar nosso casamento, mas eu estava morta por dentro… porque havia perdido você. Depois de alguns anos desistimos e pedi a separação, mas ele estava apegado demais às meninas. Por isso, continuamos vivendo na mesma casa e sendo bons pais, mas éramos somente amigos. Ele era discreto, mas eu sabia que tinha as suas namoradas e eu vivia para as meninas… e para a minha profissão. Fui para a faculdade e me tornei uma médica, depois passei a trabalhar em um hospital.

– Uma doutora Sassenach? – Jamie perguntou orgulhoso. Claire acenou com a cabeça afirmativamente e continuou:

– Sim, eu sou uma cirurgiã. Eu opero e consigo na grande maioria das vezes salvar a vida dos meus pacientes.

– Você sempre teve jeito com as facas, Sassenach. – Jamie falou sorrindo.

Frank morreu há dois anos de um câncer no pulmão. Foi rápido, sofrido e devastador. Quando nós decidimos retomar o casamento, eu prometi que jamais diria para as meninas sobre o meu sumiço, viagem no tempo e você. Faith achou depois uma carta dele em que ele contava para elas sobre tudo e me dizia que pesquisando havia descoberto que você estava vivo, porque até então, eu achava que você tinha morrido em Culloden. Frank sempre foi um bom pai e amou muito Faith e Bree.

– E você – Jamie falou.

– Sim. Frank foi o meu primeiro amor e eu o amei muito… até conhecer você. – Claire respondeu baixinho. – Mas e quanto à Laoghaire? Por que se casar com ela? Mesmo Jenny sendo ardida como pimenta, nem assim ela o forçaria a se casar. Você a ama?

Claire viu quando Jamie passou as mãos pelo rosto e depois pelos cabelos soltando vários fios de sua trança. Ela o conhecia bem e sabia que isso indicava que ele estava nervoso, da mesma forma que bater o dedo aleijado e que ela consertara há anos em sua coxa demonstrava preocupação e indecisão. Ela temia essa resposta desde o momento em que decidira voltar para ele, mas precisava saber a verdade fosse ela qual fosse. Jamie então parou de bater o dedo em sua coxa e parecendo decidido falou:

– Venha Sassenach se sentar comigo e tomar mais uma dose de uísque, porque há muito o que ser dito.

Claire estava nervosa e tomou um grande gole de uísque, preocupada com o que ele tinha a lhe dizer. Será que ele não a amava mais como antes?

– Não Sassenach, nem Jenny ou qualquer outra pessoa faria com que eu me casasse novamente – ele falou bebendo o seu último gole de uísque, deixando o copo na mesinha e se virando para ela enquanto segurava a mão dela. – Deixar você partir com Faith chorando em seus braços, enquanto pedia por mim e com outro filho em sua barriga… foi a pior coisa que já fiz em minha vida. Mas eu sabia que essa era a única forma de salvar vocês. Eu voltei para a batalha e tentei muito morrer, mas o destino não quis. Fui salvo por um oficial inglês e enviado para casa, eu queria morrer, só que Jenny sempre foi mais teimosa do que eu e lutou para me deixar vivo. Lembra do que você falou sobre as prisões e perseguições dos ingleses? Você estava certa, só que tudo foi bem pior. Eu passei seis anos vivendo escondido em uma caverna e…

– Eu sei e depois você ficou preso em ArdsmuirClaire parou ao ver a cara de surpresa de Jamie. – Foi Roger quem descobriu tudo isso depois de pesquisar muito sobre você.

Roger? – Jamie perguntou levantando a sobrancelha curioso.

– Continue, por favor, depois com calma eu contarei tudo – Claire achou que não era o momento de falar sobre Roger, o namorado de Brianna. – Na prisão de Ardsmuir, eu fiz amizade com um oficial inglês e três anos depois quando a prisão foi desativada, ao invés de ser enviado para a América, Lord John Grey, o meu amigo inglês, conseguiu que eu fosse enviado para Helwater  trabalhar como cavalariço – Jamie parou nesse momento olhando para Claire e como se tomasse uma decisão falou: – Claire, na noite do nosso casamento nós dois éramos dois estranhos, mas eu pedi e prometi a verdade a você. Eu sinto que agora, nós também somos dois estranhos depois de tantos anos de separação, mas eu lhe devo a verdade. Eu tenho um filho, Claire. O nome dele é William. Ele não sabe da minha existência. Pensa que é filho de um nobre inglês. O meu amigo John, hoje é o seu pai adotivo e como bom amigo sempre me deixa informado sobre o crescimento do meu filho. Além de John, só você sabe disso agora, não falei nada para ninguém, nem mesmo a Jenny.

– Você a ama?

– Se eu a amo… quem pelo amor de Deus?

– A mãe do seu filho…

Geneva? Não. Ela morreu no parto e eu sempre vou me culpar por isso.

Geneva… esse era o nome dela. Por isso não casou com ela?

Claire, Geneva era uma moça bonita, fútil e mimada, a filha mais nova do dono da propriedade em que eu trabalhava. Ela fora prometida e casaria com um conde bem mais velho do que ela. Um dia ela descobriu que eu mantinha correspondência com a minha família e enviava dinheiro, o que era proibido na época. Geneva então me chantageou para que eu tirasse a virgindade dela. Depois ela casou e apareceu grávida logo depois. Ela dizia à irmã que me amava, mas nunca foi amor – Jamie segurou com mais força a mão de Claire e a olhou com intensidade mostrando toda a verdade dos seus sentimentos. – Foi sexo. Você me entende, Sassenach?

Claire pensou nas vezes em que se deitou com Frank e mesmo um dia o tendo amado, era só sexo. Uma forma de se sentir um pouco viva novamente e fugir daquela solidão que a oprimia tanto.

– Sim – ela respondeu baixinho.

– Na noite do parto de William, logo depois Geneva morreu e o maldito conde tentou matar o menino gritando que era um bastardo porque ele era estéril. Eu salvei o meu filho e o matei. Eu era o único empregado presente naquela biblioteca no dia e por isso não fui preso, todos falaram às autoridades que o conde se matou atingido pela dor da morte de sua amada esposa. Quiseram me dar a liberdade para voltar para a Escócia, mas eu resolvi acompanhar o meu filho crescer – Jamie mais uma vez estava chorando. – Quando ele tinha seis anos, todos comentavam como ele parecia comigo e eu tive de admitir que não poderia ficar mais ali. Desde o nosso casamento e depois com a vinda de Faith, eu jamais havia me sentindo tão feliz novamente. Então, eu o deixei e voltei para cá. Mas voltei mais morto do que da primeira vez quando a perdi, porque agora eu havia perdido tudo novamente. Você e meus filhos para sempre. Me sentia um morto vivo. Não tinha mais serventia aqui, não era mais o senhor de Lallybroch, meus sobrinhos cresceram e esqueceram de mim. Eu estava vazio… – ele falou com desalento na voz.

– Então Jenny resolveu dar uma festa de Ano Novo e chamou vários conhecidos de outros clãs. Eu conheci Marsali e Joan – nesse momento Jaime deu um pequeno sorriso. – E depois de anos, eu voltei a rir, dançar e contar histórias novamente. Elas eram filhas de Laoghaire. Eu estava sozinho, ela também. Precisava de um marido para sustentá-la e as meninas precisavam de um pai, assim como eu precisava ser pai e me sentir útil. Mas principalmente, eu precisava me sentir vivo novamente. Eu nunca a amei e se soubesse o que ela lhe causou, jamais a teria olhado novamente.

– Mesmo não a amando, bem que você a beijou e agarrou aquela bunda gorda dela – Claire falou com raiva e ciúmes.

– Quantas vezes você acha que eu fiquei aqui pensando naquele maldito Frank, certo eu serei grato por tudo o que ele fez por você e pelas meninas, mas pensar naquele maldito Frank a beijando, chupando esses seios lindos, enfiando a mão entre as suas pernas e sentindo como você estava molhada o desejando… será que você acha que eu não me martirizei dia após dia imaginando você gemendo para ele e falando o quanto o amava? – Jamie falou com raiva e dando um soco com força em sua coxa.

Jamie, eu voltei por você. Eu nunca o esqueci e me sentia a mais sozinha das mulheres. Eu nunca deixei de te amar.

– Eu também só amei você, SassenachJamie a abraçou com força e a beijou com paixão, diferente do primeiro beijo tímido. Agora eles precisavam mais do que nunca um do outro. Ele beijou o pescoço dela e conseguiu sentir o mesmo cheiro de ervas e mel que tanto o fazia se lembrar dela durante todos esses anos. Riu depois quando enfiou a língua dentro da orelha dela e ela deu um gemido mais alto. Ele então levantou as saias dela e enfiou uma mão por entre as suas pernas. Tremeu ao sentir a maciez das coxas e mais ainda ao perceber como ela já estava molhada. – Só você Sassenach… e agora você será minha!

De repente, eles ouviram a porta da biblioteca ser aberta com força.

– Será que terei que jogar água para separar vocês? Isso é uma casa de respeito ainda.

Claire e Jamie se recompuseram às pressas e constrangidos.

Jenny você sabe muito bem que Claire é a minha esposa e a pessoa inoportuna aqui foi você. A boa educação pede que bata na porta antes de abri-la – Jamie falou secamente.

– Esta é minha casa e não vou pedir licença nela – Jenny falou sem olhar em nenhum momento para Claire.

– Antes de ser a sua casa e o seu filho o senhor agora, minha irmã querida. Eu fui o senhor e Claire a senhora daqui. Jamais seremos visita em Lallybroch.

Jenny ficou mais pálida do que antes e respirando fundo, falou:

– Todos estão com fome e estão à espera de vocês para comer – Jenny falou secamente e dando as costas ia saindo quando Claire a chamou.

Jenny espere – e sorrindo para Jamie pediu: – Jamie, por favor, traga Ian e as meninas. Eu e Jenny temos um acerto de contas a fazer. E quero que todos estejam presentes.

Fanfic | Capítulo 12

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube e do Telegram!


7 comentários sobre “Fanfic – Histórias da Colina Fraser – Capítulo 11: Eu voltei por amor!

    1. Andrea eu tive alguns problemas e por isso fiquei sem postar os capítulos, mas hoje já tem capítulo atualizado e espero que você esteja gostando, beijos.

      Curtir

  1. Poxa, o que está acontecendo?
    É a 2° quarta-feira que o Blog não coloca para seus seguidores e fãs das Histórias da Colina Fraser, um novo capítulo para o nosso deleitoso e leitura. Agradeceria se alguém pudesse dar alguma resposta, estou a 2 semanas aguardando a continuidade da história e nada.
    Att. Andrea L.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s