Fanfic – Histórias da Colina Fraser – Cap. 27: Oh, meu Deus! Oh, meu Deus!

FANFIC |Cap. 26

Por várias vezes em sua vida, Claire imaginou como seria esse dia. O dia em que uma de suas filhas se casaria. Nos anos em que viveu em Boston, ela sempre pensou que isso aconteceria com Frank entrando com uma de suas filhas em uma igreja e a entregando ao noivo. Provavelmente seria Faith a primeira a se casar, e, não por ser mais velha quase 1 ano e meio que Brianna, mas simplesmente porque Brianna não parecia interessada nos assuntos do amor… até conhecer Roger e o amor atingí-la em cheio.

Olhou mais vez para Brianna Marsali que dançavam felizes, agora com os seus respectivamente esposos – Roger Fergus -. Brianna estava iluminada e linda em seu belo vestido de noiva, feito de seda branca e com detalhes em renda na cor creme. Os cabelos presos em um coque alto onde cachos vermelhos caíam delicadamente por sua nuca. Ela usava o colar de pérolas que era de sua avó paterna e que fora o presente que Jamie havia dado no dia do casamento deles; e que anos mais tarde Claire dera para as duas como herança do pai biológico.

Marsali também estava belíssima em seu novo vestido branco e com vários detalhes de fitas azul-celestes. Ela fizera questão que o vestido tivesse esse tom, assim como que os belos cabelos loiros estivessem soltos e amarrados por uma única fita grossa de seda do mesmo tom. Quando Faith perguntou o porquê da insistência desse tom com a costureira que travara com ela uma discussão acalorada, afirmando que esse tom de azul não estava mais em alta e o melhor seria usar uma renda ou fitas em tons mais neutros, Marsali simplesmente a olhou por alguns instantes e depois deixou o olhar ficar por um demorado tempo em Claire, para depois de um longo suspiro falar:- “É a cor que mamãe mais gosta… acho que assim eu sinto que ela está comigo.”– Ela encerrou baixinho e emocionada.

Claire sorriu ao ver quando Ian e Faith pararam de dançar e rindo eles foram até onde Jamie estava. Jamie bebia na companhia  do  Sr. Maclver e com mais alguns donos de propriedades da ilha. Claire viu quando Faith sorrindo convenceu o pai que não gostava muito de dançar em público a acompanhá-la em uma dança. Os dois começaram com passos lentos e foram progredindo conforme os acordes da música avançavam. Faith estava com os cabelos soltos e ria feliz, assim como era o sorriso de Jamie. Altos, esbeltos, ruivos, elegantes, lindos, felizes e dela. Sim, eles eram dela e ela estava muito feliz por ter a sua família reunida e feliz novamente.

– Não dança, Sra. Fraser?

– Lorde John Grey – Claire fez uma mesura com a cabeça o cumprimentando para logo depois sorrir voltando os olhos para a pista de dança onde a sua família dançava e ria feliz. – Só apreciando – ela respondeu feliz.

-Realmente lindo! – Claire olhou para Lorde John que olhava apaixonado para Jamie e percebendo que ela o olhava, desviou o olhar e a olhou de volta ficando vermelho. – O casamento foi realmente um evento lindo – ele consertou.

– E graças ao senhor, muito obrigada – Ela segurou por um momento a mão dele e falou com sinceridade.

– Não fiz nada, minha senhora – ele falou galanteador sorrindo de volta e já recuperado do constrangimento recente. – Sempre serei grato por ter salvo a minha vida e por cuidar de todos os empregados da minha propriedade com zelo e profissionalismo. Da minha parte só foram arranjos facéis que a minha posição e influência conquistaram. O que a senhora fez não há preço que pague.

– Sou uma médica e salvar vidas é o que faço… bem é o que eu tento, mas nem sempre consigo infelizmente – ela falou baixinho.

– Uma taça de vinho, senhora? – John pegou duas taças que um escravo conduzia em uma bandeja e ficando com uma, entregou a outra a Claire.

– Obrigada – Claire tomou o delicioso vinho com prazer e olhando diretamente nos olhos de Lorde John falou de forma direta e natural: – Você ainda o ama.

Claire fascinada percebeu quando Lorde John engasgou, tossiu e ficou pálido para adquirir  um tom vermelho na pele alva e finalmente depois de a olhar por um longo tempo, sorriu.

– Sra. Fraser

– Claire, por favor – ela falou sorrindo para ele. – Afinal, eu já furei o seu crânio e o ajudei com o penico, apesar do seu maldito orgulho não admitir… creio que passamos dessa fase de formalidade – Claire se divertiu ao ver a batalha que ele travava internamente.

– Claire – ele falou a olhando diretamente nos olhos dela e respondeu: – Você possui uma franqueza absurda e rara, minha querida. E respondendo a sua pergunta, eu nunca deixei de amá-lo – ele falou baixinho.

– Você me odeia? – Ela devolveu com a mesma franqueza. 

– Já desejei que você estivesse morta, mas mesmo quando ele pensava que você estivesse… jamais tive uma única chance com ele – ele falou com total franqueza e com tristeza na voz. – E você me odeia?

– Não. Acho que tenho ciúmes por você ter convivido e ter a amizade dele quando eu estive ausente durante todo esse tempo – ela também falou baixinho e fixando o olhar em Jamie que ria feliz ao errar um passo e pisar sem querer no pé de Faith que também ria.

– Eu sempre serei o amigo dele… e me contento com a amizade que ele pode me dar, quanto a você, minha querida – Lorde  John segurou a mão dela para logo depois levá-la aos lábios e sorrindo continuou: – Espero que aceite a minha amizade também, pois a admiro grandemente e ficaria honrado se me considerasse o seu amigo.

– Sim e agora aceito dançar, John – ela falou sorrindo.

Claire  com Faith ajudava Brianna e Marsali a arrumarem os seus pertences para a semana que teriam na casa de Jared para a sua lua de mel. Já ClaireJamieFaith e Ian ficariam na mansão de Lorde John para que os recém-casados tivessem um pouco de intimidade.

Claire notou Marsali que a olhava já a algum tempo. Ela teve vontade de perguntar o que a afligia, mas a sua relação com Marsali apesar de ter melhorado muito, ainda era como pisar em ovos, sempre com cuidado para não causar nenhum dano maior. Então esperou que Marsali tomasse a inciativa e assim a jovem fez.

– Claire

– Sim, minha querida – Claire falou arrumando com carinho um cacho sedoso dos belos cabelos loiros que caía em cima do rosto de Marsali.

– Eu queria muito que mamãe estivesse aqui, mas… – ela falou abaixando o rosto e dando com os ombros como se isso não a incomodasse. – Ela não está e mesmo que estivesse agora… Deus sabe que ela faria um escândalo e não permitiria que eu me casasse com Fergus e muito menos que o casamento não fosse realizado por um padre.

– Ah, mas papai também não ficou nada feliz em ver que a sua filha recebia a benção de um ministro e não de um padre católico – Faith falou com humor na voz. – Eu vi as caras que ele fez no altar e como você mamãe o cutuva com o cotovelo.

– Eu e Jamie estamos muito felizes por vocês – Claire falou sorrindo para Brianna e Marsali. – Mas vocês precisam entender que Jamie esperava por um casamento católico e quando ele viu que seria o ministro David Caldwelle quem faria a cerimônia, ele ficou um pouco resistente… mas está feliz e sabe que Deus abençoou vocês. E isto é o principal.

– Eu não me importo com padres, ministros ou papas… só queria casar com Roger – Brianna falou impulsiva.

– Nem eu. E Claire

– Diga o que a incomoda, Marsali – Claire segurou a mão de Marsali que estava fria, para incentivá-la.

– Eu sou virgem e quero muito ser a mulher de Fergus… ele já falou comigo que a primeira vez de uma mulher geralmente não é tão boa assim, mas que ele vai fazer que fique boa – ela falou ficando vermelha e levantando o rosto com coragem olhou para Claire e continuou: – Minha mãe parecia que não gostava de fazer amor e sempre dizia que era um castigo para as mulheres, mas eu a vejo com o Pa… e vocês são muito felizes… você não parece que está sendo castigada, pelo contrário. Parece que gosta muito e que quer fazer a toda hora.

– Bem – Claire começou a falar envergonhada e foi interrompida por Faith Brianna.

– Ah, isso é verdade… mamãe e papai parecem dois jovens apaixonados que não podem ver um canto e já querem namorar – Faith falou divertida.

– Faith!

– Mamãe, Faith tem razão. Eu vi você e papai Frank e vejo agora você e pap… Pa. E eu nunca a vi tão feliz assim – Brianna falou sorrindo para a mãe.

– Oh, mas deixem minha vida amorosa de lado – Claire falou emocionada olhando para Brianna. – Marsali é normal sentir desejo e querer fazer amor. Pode ser que a sua primeira vez não seja tão confortável, mas eu acredito que Fergus e – Claire então olhou para Brianna sorrindo – Roger serão pacientes e carinhosos. 

– Sim, isso eu sei… mas eu nunca falei sobre isso com mamãe ou nenhuma amiga – ela falou envergonhada. – Você pode falar como o meu corpo vai reagir?

– Bem, talvez um pouco sobre a anatomia do corpo de vocês – Claire sentou na cama e logo teve a companhia das meninas. Não que essa conversa fosse novidade para Faith e Brianna, mas as duas ouviam tudo com muito interesse e às vezes interropiam para fazer algum comentário. Claire falou sobre a anatomia do sistema reprodutor feminino, começando pelo útero e passando  para a composições externas, parte a parte.

– Então o botãozinho tem um nome? – Marsali exclamou, encantada, quando Claire falou sobre o clitóris – Eu sempre pensei que ele fosse, você sabe… aquele pedacinho… da alegria – ela falou ficando vermelha e rindo, e recebendo olhares e sorrisos de  compreensão de Faith e Brianna.

– Então, se Fergus tocar… eu vou gostar muito?

– Não só tocar, mas lamber, beijar, além dos seios e vários pontos prazerosos que vocês dois vão descobrir juntos – Claire falou encantada em ver a alegria estampada no rosto de Marsali.

– Claire, mas e Fergus… o que eu posso fazer para que ele também fique feliz?

– Ah, eles têm também – Brianna falou rindo e ficando também vermelha.

– Os homens têm e acham muito prazeroso também quando são tocados, lambidos e chupados lá. Um pênis é extremamente funcional e se você for carinhosa com ele, trará muito prazer para ele.

– Mas e como vou saber se estou fazendo tudo direitinho? – Marsali perguntou preocupada. Fazendo com que Claire desse uma risada alta e voltasse a descrever algumas instruções.

– E se vocês ouvirem eles dizerem: – “Oh, Deus, Oh, Deus!” – em algum momento, saibam que vocês estão fazendo um bom trabalho e não esqueçam de fazer o mesmo da próxima vez.

– E pensar que o conselho que mamãe nos dava era: “Abra suas pernas, trinque seus dentes, reze, e o deixe entrar” – Marsali falou arregalando os grandes olhos azuis e provocando que todas dessem muitas gargalhadas.

Claire acompanhou Brianna e Marsali até a porta principal onde RogerFergus e Jamie esperavam por elas. Despediu com um abraço emocionado em Brianna.

– Ah, Bree… – Claire não conseguiu falar mais nada e a beijou com lágrimas nos olhos.

– Eu também a amo, mamãe – Brianna a abraçou a levantando do chão e sorrindo entre lágrimas a beijou para logo depois se despedir de JamieClaire viu quando ele a abraçou e a beijou na testa, falando em gaélico:  M’annsachd – minha benção – e abraçou Roger emocionado dando a sua filha a seu novo filho. Depois abraçou com carinho o outro filho e beijou Fergus falando: Cuide da menina, meu filho.

– Marsali, minha querida, seja feliz! – Claire olhou emocionada para Marsali que se jogou nos braços de Claire e a abraçou com força.

– Obrigada por tudo, Mamãe Claire! – Marsali falou a beijando no rosto, para logo depois abraçar Jamie e levar Fergus pela mão.

Jamie abraçou Claire e eles ficaram vendo a carruagem partir. 

– Foi um lindo casamento – ela falou emocinada.

– Err… tirando o maldito ministro – Jamie parou ao ver o olhar de Claire para ele. – Não me conformo que John não tenha encontrado um único padre católico nessa maldita ilha!

– Mas foi um lindo casamento e eu lembrei do nosso, Jamie – Claire olhou com os olhos cheios de lágrimas para ele. – Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos…

– Dou-lhe meu corpo, para que nós dois sejamos um só – ele continuou olhando para ela apaixonado.

– Dou-lhe meu espírito… – ela falou com os lábios bem próximos dos dele.

– Até o fim de nossas vidas – ele terminou a beijando com paixão.

Jamie olhou para a linda lua que iluminava a noite, olhou para Claire e enxugou as lágrimas que desciam pelo rosto dela. A beijou com carinho e a levou pela mão pelo jardim.

– Para aonde vamos, Jamie?

– Não quero passar a noite em um quarto hoje, Sassenach – ele falou olhando para o céu estrelado e iluminado pela bela lua. – Eu quero passar a noite com você deitada nua por cima da relva, vendo esses seus seios lindos e duros iluminados pela luz da lua. Quero descobrir cada ponto escondido do seu corpo e fazer com que você grite de tanto prazer e me implore para que eu a possua.

– Só depois que você implorar que eu não pare… e grite: Oh, meu Deus! Oh, meu Deus! 

FANFIC | Cap. 28

Aviso Legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e personagens fictícios; e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. História sem fins lucrativos feita apenas de fã para fã, sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


Um comentário sobre “Fanfic – Histórias da Colina Fraser – Cap. 27: Oh, meu Deus! Oh, meu Deus!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s