Outlander 5×03 – Free Will

“- O seu nome é Sassenach. – Fanny Beardsley

– Não, Sassenach é como o meu marido me chama. – Claire Fraser (o melhor desta cena foi a carinha apaixonada que o Jamie fez).”

E o terceiro episódio de Outlander mostrou a nós como o mundo pode ser cruel e difícil. Um mundo difícil de digerir onde doenças sem tratamento, escravidão, abuso, tortura, vingança, violência e maldade parecem não dar espaço para a esperança.

Jamie retornou à Fraser’s Ridge agradecendo por encontrar a sua casa de pé e principalmente a sua Sassenach bem. Afinal, ele viu o que aconteceu em Hillsborough e por experiência conhece os efeitos da guerra e de como podem transformar um homem. Ele conta para Claire sobre o que ocorreu e que precisa partir em busca de homens para a sua milícia. Claire afirma que vai com ele, mesmo que no começo ele proteste, ela diz que ele precisa dela e ele aceita respondendo que sempre precisou e sempre precisará. E aí está o ponto principal de Outlander, a parceria de Jamie e Claire, o casal que trabalha junto, aceitando as suas diferenças e as usando com cumplicidade. , Não é só amor e paixão, mas principalmente admiração, confiança e parceria. Esse é o casal pelo qual me apaixonei e que faz com que eu não desista de Outlander depois de tantos anos.

Eles se preparam para deixarem Fraser’s RidgeJamie deixa Brianna no comando de Fraser’s Ridge e leva Roger com ele, afinal, ele é o capitão de Jamie e o homem de confiança do coronel. Na despedida do casal, Bree reforça para Roger o que Claire já havia dito antes, que neste momento a história não falava de nenhum conflito grande ou envolvendo mortes, mas como Jamie bem lembrou para Claire nem sempre a história é fidedigna quando se trata da guerra e seus confrontos e é só lembrar do regulador assassinado.

Enquanto estão acampados, eles são surpreendidos por um garoto que rouba mantimentos porque está faminto. É Kezzie Beardsley, o irmão gêmeo de Josias, aquele rapaz que apareceu no primeiro episódio da quinta temporada, o jovem caçador que tem as amígdalas inflamadas e que Lizzie ficou toda interessada nele.  Josias conta que ele e o irmão vieram com os pais e as irmãs de navio para a América, mas que a família morreu em consequência das doenças que tiveram no navio. Eles então com dois anos de idade foram vendidos como escravos para Aaron Beardsley e lá viveram uma vida de abuso e miséria. Kezzie perdeu a audição graças à crueldade e pelos maus tratos provocados por Beardsley. Josias fugiu há um ano e agora que conseguiu a proteção de Jamie para viver em suas terras como um colono, foi buscar o irmão dele. Jamie pede que Roger comande os homens e continue com o trabalho de conseguir mais homens para a milícia. Ele e Claire vão ao encontro dos Beardsley para negociar e conseguir os documentos de posse e escravidão dos rapazes; e que depois se encontrarão com eles  em Brownsville.

Quando estão a caminho da cabana dos Beardsley, Jamie fala com Claire sobre a cicatriz que Josias traz na mão, a marca de um ladrão. Que ele a conseguiu por roubar um queijo e que ele desconfia que o rapaz provavelmente assumiu a culpa para proteger o irmão. Ele pede que assim que voltarem para Fraser’s Ridge, que Claire a retire para que o rapaz tenha uma vida livre de marcas. Eles chegam à cabana dos Beardsley e que parece mais um lugar tirado de um filme de terror. Claire sente a energia negativa do lugar e pede que eles vão embora, mas Jamie explica que ele precisa dos contratos de escravidão.

Então conhecemos Fanny Beardsley, a esposa de Aaron Beardsley e que dá um sustinho em Jamie, porque é uma figura soturna e estranha. Ela primeiro fala que o marido morreu e que eles devem ir embora, Jamie insiste que precisa dos contratos de escravidão de Josias e Kezzie e contrariada ela os deixa entrar na cabana. A cabana do terror é suja, amontoada de mercadorias, sem iluminação e ventilação, habitada por cabras e um bode; e com um fedor insuportável. Claire sendo Claire, percebe que o mau cheiro não vem só dos animais e nota que há uma umidade caindo do piso superior da cabana. Ela sobe e descobre o marido de Fanny que não está morto ainda, mas em uma situação terrível. Fanny conta que Aaron a perseguiu até em cima para bater nela e então caiu para não mais levantar. Claire constata que o homem teve um derrame, ou apoplexia como era chamado na época. Ele estava caído há mais de um mês em cima de suas sujeiras, com o corpo coberto de escaras e larvas, além de muito machucado. Claire depois de levá-lo para o andar debaixo com a ajuda de Jamie, descobre que Fanny o alimenta só para que ele viva enquanto o tortura provocando machucados e queimaduras em seu corpo.

Jamie fica abalado e pergunta o que Claire pode fazer pelo homem. Ela diz que quanto à apoplexia não há o que ser feito, mas pode amputar o pé dele que está gangrenado e cuidar dos seus machucados, mas que ela não tem as suas ferramentas de cirurgia no momento e que como médica não pode abandonar o homem assim. Enquanto estão conversando, Fanny se aproveita da distração deles e tenta matar o marido o asfixiando, Jamie a impede e durante a luta a bolsa d’água dela estoura para surpresa deles mostrando que a mulher estava grávida. Claire faz o parto e descobre que o pai da menina era um negro. Fanny pede para segurar a filha e com ironia  começa a xingar o marido e falando que a filha não era dele.

Claire conversa com Fanny e tenta saber um pouco mais da estranha mulher. Ela conta que foi trazida para lá há mais de dois anos e que só sofreu abuso e maus tratos, assim como os gêmeos que trabalhavam ali. Ela era a quinta esposa de Aaron. As outras estavam enterradas embaixo de uma árvore no quintal. Ela conseguia ver os espíritos das outras esposas e inclusive conversar com a quarta esposa que contou que elas foram assassinadas pelo marido depois que não conseguiram dar um filho pra ele. Claire fala que agora ela tem uma filha e que pode mudar essa história de dor e sofrimento, afinal, elas vão herdar a propriedade, mas Fanny não parece acreditar em recomeços e felicidade.

Eles estão cansados e acabam dormindo. São acordados pelo choro da criança e descobrem que Fanny fugiu deixando a escritura da casa e os contratos de posse dos gêmeos, além da bebê. Eles sabem que precisam tomar uma decisão e que não podem ficar ali por muito tempo. Jamie conversa com o homem e dá o direito de escolha a ele. Respondendo para sim com uma piscada de olho e não com duas piscadas. Ele fala sobre a situação dele e qual será o tratamento. Pergunta se deseja que Claire ampute o pé dele. Ele pisca duas vezes. Pergunta se ele quer que ele acabe com o seu sofrimento. Beardsley pisca uma vez. Jamie só ouviu coisas ruins sobre ele e sabe que ele não foi uma boa pessoa em vida, mas Jamie é um homem de fé e não quer que ele vá para o inferno sem o direito de confessar os seus pecados, então pergunta se ele se arrepende do mal que fez e o homem pisca duas vezes.

Jamie atira no homem e encontra Claire que está do lado de fora com a bebê no colo. Ele conta que só agora se deu conta de como o pai dele ficou quando teve a apoplexia. Porque Jenny que cuidou dele nunca contou nada para ele e o poupou disso. Ele pede que Claire prometa que se um dia ele estiver naquela situação que dê a ele uma morte decente como ele deu aquele homem mau dentro daquela cabana. Ela concorda e o episódio acaba com a revoada de pássaros anunciando que o tempo de partir chegou. É preciso deixar para trás toda a maldade, dor, sofrimento e falta de esperança.

Este para mim foi um dos melhores episódios de Outlander. Eu como apaixonada e fã dos livros da saga, me senti presenteada pela série. Foi um dos episódios mais fiéis ao livro. Um episódio pesado e triste. Mostrando um mundo cruel e muito difícil de viver. Como Claire bem falou para Jamie. Ela não quer que BriannaRoger Jemmy fiquem naquele mundo, ainda mais depois de saber que Stephen Bonnet está vivo e perto deles. Jamie sabe que para ele esse é o único mundo que existe e que lá está a família que pode cuidar deles, mas Claire sabe que há a possibilidade de um outro mundo, talvez tão perigoso e injusto, mas com mais possibilidades de sobrevivência. Jamie e Claire enfrentaram neste episódio o medo, a indignação frente à injustiça e crueldade das pessoas, mas também encontraram a força e o apoio um no outro para enfrentarem tudo. Juntos eles são melhores, juntos eles conseguem tudo e com Jamie e Claire juntos, Outlander ganha muito mais. Eu não preciso de episódios com Jamie chupando os seios de Claire ou com Claire gemendo enquanto senta em Jamie, se bem que não tenho nada contra isso e até goste muito dos momentos mais quentes de paixão. Mas o que eu preciso é que Jamie Claire estejam à frente da sua saga, que enfrentem esse mundo tão difícil juntos com a mesma parceria e cumplicidade que sempre tiveram desde a primeira temporada. Muito feliz com esta temporada e ansiosa pelo o que virá, mas o que tem mais me agradado é ter os meus personagens principais de volta sem perder a sua essência e comandando a história juntos e vivendo esse amor atemporal que tanto me fascina.

OUT¹: Simplesmente adorando a forma como Claire está conduzindo o treinamento de Marsali. Como uma boa professora ela incentiva a aluna a pensar e descobrir as respostas as suas dúvidas, sem dar a resposta pronta. Amo a cada dia mais o pequeno Germain, nosso lindo causador de problemas.

OUT²Fergus, meu inocente atrapalhado, como é que tu pega os papéis de Milady pra escrever um rascunho e deixar na gráfica, homem? Prevejo confusões.

OUT³: Toda a ambientação do acampamento e as piadas trocadas pelos homens em volta da fogueira, foi tão bem-vinda e teve tantas referências aos livros como quando Jamie fala que vai dormir aquecido com Claire. Já quando eles dormem na cabana e que difere do livro, é muito fofo ver os dois abraçados, mas eu não consigo imaginar dormir naquele chão imundo daquela cabana do terror.

OUT4: A atriz Bronwyn James fez um ótimo trabalho com a sua Fanny Beardsley. Uma menina que sofreu nas mãos de um opressor e que depois acabou agindo como opressora como forma de vingança. Infelizmente o ciclo de opressão e injustiça se repete. E mais uma vez Caitriona Balfe Sam Heughan foram perfeitos em cena.

OUT5: Eu juro que quando vi Jamie chegando em Fraser’s Ridge imaginei que ele teria dentro do casado o meu Adso. Teve nada. Depois quando chegaram à cabana do terror e Claire foi até o celeiro e viu a gataiada toda lá, eu pensei é agora que ela vê o meu Adso. Doce ilusão. Adso, meu gatinho lindo, cadê você? Os ratos estão dominando a despensa da Casa Grande e se você miar e passar o corpo nas pernas da Claire, ela sempre terá um pires de leite pra você.

Saga Outlander

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


2 comentários sobre “Outlander 5×03 – Free Will

  1. Achei sua resenha perfeita! Concordo com todos os pontos. A cumplicidade de Jamie e Claire é a melhor coisa da série. O que eu mais amo no personagem do Jamie é como ele é tão a frente do seu tempo na relação com sua esposa e sua filha (a forma como ele vê as mulheres é mais avançada do que muitos homens nos dias atuais). E isso fica muito evidente na relação dos dois.
    O que eu ainda sinto falta na série são os momentos bem humorados do Jamie, como a brincadeira em volta da fogueira, que vc citou.
    Obrigada pelo trabalho, adoro o blog!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s