Daily Line: Dia dos Veteranos

POSSUI SPOILER DO LIVRO 8 | Leia outros em Trechos da Diana

Em memória aos nossos honrados veteranos de hoje, aqui estão alguns snapshots de uma das primeiras batalhas em nossa luta para ser uma nação livre.

(Estes trechos são de ESCRITO COM O SANGUE DO MEU CORAÇÃO, Copyright 2014 Diana Gabaldon)

O primeiro tiro os pegou de surpresa, um estrondo abafado do pomar de sidra e um lento rolar de fumaça branca. Eles não correram, mas se enrijeceram, olhando para ele em busca de orientação. Jamie disse aos que estavam perto:

– Bons rapazes – depois ergueu a voz, à minha esquerda, agora! Mr. Craddock, Reverendo Woodsworth, vamos cercá-los, venham por trás do pomar. O outros… espalhem-se para a direita e atirem como puder…

O segundo estrondo abafou suas palavras e Craddock se sacudiu como uma marionete com as cordas cortadas e caiu no chão, o sangue jorrando do buraco enegrecido em seu peito. O cavalo de Jamie recuou violentamente, quase o derrubando.

– Sigam o reverendo! – gritou ele para os homens de Craddock, que ficaram de queixo caído, olhando para o corpo do seu capitão. – Agora!

Um dos homens se sacudiu, agarrou a manga do outro, puxou-o para longe e todos começaram a se mover como um só corpo. Woodsworth, abençoado seja, ergueu seu mosquete acima da cabeça e rugiu:

– Venham comigo! Sigam-me! – e invadiu a confusão de pernas finas cambaleantes que corriam ao seu lado, mas eles o seguiram.

O animal havia se acomodado, mas movia-se devagar. Ele estava, supostamente, acostumado com o som de armas, mas não gostava do cheiro forte de sangue. Jamie também não gostava.

– Nós não deveríamos … enterrar o Mr. Craddock? – sugeriu uma voz tímida atrás dele.

– Ele não está morto, cabeçudo.

Jamie olhou para baixo. Ele não estava, mas não demoraria mais do que alguns segundos.

– Vá com Deus, homem – disse ele calmamente. Craddock não piscou; seus olhos estavam fixos no céu, ainda não estavam opacos, mas não podiam mais ver.

– Sigam os seus companheiros – disse ele aos dois retardatários, depois viu que eram os dois filhos de Craddock, talvez treze e quatorze anos, com o rosto pálido e olhando como ovelhas. – Digam adeus a ele – disse abruptamente. – Ele ainda pode ouvi-los. Então… vão. – Ele pensou por um momento em mandá-los para La Fayette, mas eles não estariam mais seguros lá. – Vão!

Eles correram, estavam muito mais seguros correndo, e com um gesto para os tenentes Orden e Bixby, ele girou seu cavalo para a direita, seguindo a companhia de Guthrie. Os canhões no pomar disparavam com mais regularidade. Ele viu uma bola passar quicando, a três metros de distância, e o ar estava ficando mais denso com a fumaça. Ele ainda podia sentir o cheiro do sangue de Craddock.

Ele encontrou o capitão Moxley e o enviou com uma companhia completa para olhar a casa da fazenda do outro lado do pomar.

– Mantenha-se a uma certa distância e preste atenção. Quero saber se os casacas vermelhas estão lá ou se a família ainda está lá. Se a família estiver lá, cerque a casa; entre se eles permitirem, mas não force o caminho. Se houver soldados lá dentro e eles vierem atrás de você, cerque-os e tome a casa, se achar que é possível. Se eles ficarem dentro da casa, não os provoque; mande alguém de volta para me contar. Eu estarei no fundo do pomar, no lado norte.

Guthrie estava esperando por ele, os homens deitados na grama alta atrás do pomar. Ele deixou os dois tenentes com seu cavalo, que amarrou a uma cerca bem fora do alcance do pomar, e caminhou até a companhia, mantendo-se abaixado. Ele ficou de joelhos ao lado de Bob Guthrie.

– Preciso saber onde estão os canhões, exatamente onde estão e quantos são. Envie três ou quatro homens de diferentes direções, astutamente. Sabe o que quero dizer? Eles não devem fazer nada, devem ver o que puderem e sair rapidamente.

Guthrie estava ofegando como um cachorro, o rosto com a barba por fazer encharcado de suor, mas ele sorriu, acenou com a cabeça e abriu caminho pela grama.

A campina estava seca, marrom e quebradiça no calor do verão. As meias de Jamie picavam por causa da grama, e o cheiro forte e quente do feno maduro era mais forte do que pólvora negra.

Ele bebeu água do seu cantil; estava quase vazio. Ainda não era meio-dia, mas o sol estava se pondo sobre eles como um ferro de engomar. Ele virou-se para dizer a um dos tenentes que o estavam seguindo para encontrar a fonte de água mais próxima, mas nada se movia na grama atrás dele, exceto centenas de gafanhotos, zumbindo como faíscas. Cerrando os dentes contra a rigidez dos joelhos, ele ergueu-se nas mãos e nos pés e correu de volta para o seu cavalo.

Orden estava caído a três metros de distância, atingido em um dos olhos. Jamie congelou por um instante, e algo zumbiu perto de sua bochecha. Podia ser um gafanhoto ou não. Ele estava caído no chão ao lado do tenente morto, o coração batendo forte em seus ouvidos antes que o pensamento se formasse completamente.

Guthrie. Ele não ousava levantar a cabeça para gritar, mas tinha que fazer. Ele ficou de pé da melhor maneira que pôde, disparou pela grama e correu como um coelho, de um lado para o outro, ziguezagueando para longe do pomar o melhor que pôde, enquanto ainda estava indo na direção que havia enviado Guthrie.

Ele podia ouvir os tiros agora: mais de um atirador no pomar, protegendo o canhão, e o som era um estalo monótono de um rifle. Jaegers? Ele jogou-se no chão e rastejou como um louco, agora gritando por Guthrie.

– Aqui, senhor! – o homem apareceu de repente ao lado dele como uma marmota, e Jamie agarrou a manga de Guthire, puxando-o de volta para baixo.

– Chame… os seus homens de volta – ele engoliu em seco, o peito arfando. – Tiroteio… do pomar. Este lado. Eles serão eliminados.

Guthire estava olhando para ele, a boca entreaberta. – Chame eles de volta!

Abalado pelo choque, Guthrie acenou com a cabeça como uma marionete e começou a se levantar. Jamie o agarrou pelo tornozelo e o puxou para baixo, pressionando-o com a mão nas suas costas.

– Não… levante – sua respiração estava desacelerando e ele conseguiu falar com calma. – ainda estamos dentro do alcance aqui. Reúna seus homens e leve sua companhia de volta ao cume. Junte-se ao Capitão Moxley; diga a ele para vir e se juntar a mim… – Sua mente ficou vazia por um momento, ele tentava pensar em algum lugar razoável para um encontro. – Ao sul da casa da fazenda. Com a companhia Woodbine. – Ele tirou a mão de Guthrie.

– Sim, senhor. – O homem apoiou-se nas mãos e nos joelhos, tentando alcançar o chapéu que havia caído. Ele olhou de volta para Jamie, os olhos cheios de preocupação sincera.

– Você foi atingido com muita força, senhor?

– Atingido?

– Seu rosto está cheio de sangue, senhor.

– Não é nada. Vá!

Guthrie engoliu em seco, acenou com a cabeça, enxugou o rosto na manga e saiu correndo pela grama o mais rápido que pôde. Jamie levou a mão ao rosto, tardiamente ciente de uma leve ardência na bochecha. Com certeza, seus dedos ficaram ensanguentados. Então, não era um gafanhoto.

Ele enxugou os dedos na bainha do casaco e notou mecanicamente que a costura da manga havia estourado no ombro, deixando à mostra a camisa branca por baixo. Ele levantou-se um pouco, cauteloso, procurando por Bixby, mas não havia sinal dele. Talvez morto na grama alta também; talvez não. Com sorte, ele viu o que estava acontecendo e correu de volta para avisar as companhias que estavam chegando. O cavalo ainda estava onde ele o havia deixado, graças a Deus, amarrado a uma cerca, a cinquenta metros de distância.

Ele hesitou por um momento, mas não havia tempo a perder procurando por Bixby. Woodsworth e suas duas companhias estariam contornando o pomar em alguns minutos e bem ao alcance dos rifles alemães. Ele apareceu e correu.

Algo puxou seu casaco, mas ele não parou e alcançou seu cavalo, ofegante.

–Tiugainn! disse ele, subindo na sela. Ele afastou-se do pomar e galopou através de um campo de batata, embora ferisse seu coração de fazendeiro ao ver o que a passagem dos exércitos já havia feito com ele.

EU NÃO SEI quando os médicos começaram a chamá-la de “A Hora de Ouro”, mas certamente todo médico do campo de batalha desde a época da Ilíada sabe disso. Desde o momento de um acidente ou lesão que não seja imediatamente fatal, as chances de vida da vítima são melhores se ela receber tratamento dentro de uma hora após sofrer a lesão. Depois disso, choque, perda contínua de sangue, debilidade devido à dor. . . a chance de salvar um paciente diminui drasticamente.

Adicione as temperaturas escaldantes, a falta de água e o estresse de correr pelos campos e bosques, vestindo lã feita em casa e carregando armas pesadas, inalando fumaça de pólvora e tentando matar alguém ou evitar ser morto, pouco antes de ser ferido, e pensaria que estávamos olhando para “Quinze minutos de ouro” ou algo assim.

Considerando também o fato de que os feridos precisavam ser carregados ou caminhar – provavelmente mais de um quilômetro – até um lugar onde pudessem encontrar ajuda. . . acredito que estávamos indo bem ao salvar aquela quantidade de homens. Mesmo que apenas temporariamente, acrescentei sombriamente para mim mesma, ouvindo os gritos de dentro da igreja.

– Qual é o seu nome, querido? – disse eu para o jovem na minha frente. Ele não poderia ter mais de dezessete anos e estava muito perto de sangrar até a morte. Uma bala atravessara a parte superior de seu braço, o que normalmente seria um local fortuito para um ferimento. Infelizmente, neste caso, a bola passou pela parte inferior do braço e cortou a artéria braquial, que estava jorrando sangue de forma lenta, mas séria, até que eu segurei seu braço com força.

– Soldado Adams, senhora – respondeu ele, embora seus lábios estivessem brancos e ele tremesse. – Eles me chamam de Billy – acrescentou ele educadamente.

– Prazer em conhecê-lo, Billy– disse eu. – O senhor… ? ” Pois ele fora trazido cambaleando, apoiado em outro garoto mais ou menos da sua idade – e quase tão pálido, embora eu achasse que ele não estava ferido.

– Horatio Wilkinson, senhora – disse ele, abaixando a cabeça em uma reverência desajeitada, o melhor que conseguiu enquanto segurava seu amigo de pé.

– Adorável, Horatio – disse eu. – Eu cuido dele agora. Poderia apanhar um pouco de água com um pouco de conhaque? Bem ali. – Eu balancei a cabeça na direção da caixa de embalagem que eu estava usando como mesa, na qual uma das minhas garrafas marrons marcada VENENO estava, junto com um cantil cheio de água e copos de madeira. – E assim que ele beber, dê a ele aquela tira de couro para morder.

Eu teria dito a Horatio para tomar um gole também, exceto que havia apenas duas xícaras e a segunda era a minha. Eu estava bebendo água constantemente – meu corpete estava encharcado e grudado em mim como a membrana dentro de uma casca de ovo, e o suor escorria continuamente pelas minhas pernas; eu não queria compartilhar os germes de qualquer soldado que não escovavasse seus dentes regularmente. Ainda assim, talvez eu tenha que dizer a ele para tomar um gole rápido direto da garrafa de conhaque; alguém teria que aplicar pressão no braço de Billy Adams enquanto eu suturava sua artéria braquial, e Horatio Wilkinson não parecia estar à altura da tarefa.

– Você poderia … – comecei, mas eu estava segurando um bisturi e uma agulha de sutura com uma ligadura pendente na minha mão livre e essa visão foi demais o jovem Mr. Wilkinson. Ele revirou os olhos e caiu, sem sentido, no cascalho.

– Ferido? – disse uma voz familiar atrás de mim, e virei minha cabeça para ver Denzell Hunter olhando para Mr. Wilkinson. Ele estava quase tão pálido quanto Horatio e, com os fios de cabelo soltos e grudados em suas bochechas, muito diferente da sua serenidade usual.

– Desmaiou – disse eu. – Você poderia…

– Eles são idiotas– disse ele, tão pálido de raiva, eu percebia agora, que mal conseguia falar. – Cirurgiões regimentais, eles se autodenominam! Um bom quarto deles nunca viu um homem ferido em batalha antes. E aqueles que o fazem mal, são capazes de qualquer coisa no caminho do tratamento, exceto a mais grosseira amputação. Uma companhia de barbeiros faria melhor!

– Eles podem fazer parar de sangrar? – perguntei, pegando sua mão e envolvendo-a no braço do meu paciente. Ele automaticamente pressionou o polegar na artéria braquial perto da axila, e o jorro que começou quando tirei minha própria mão parou novamente. – Obrigada – disse eu.

– Não por isso. Sim, a maioria deles pode fazer isso – admitiu ele, se acalmando um pouco. –Mas eles têm tanto ciúme do privilégio, e tanto afiliados a seus próprios regimentos – que alguns estão deixando um homem ferido morrer porque ele não é um deles e seu próprio cirurgião regimental está ocupado com outra coisa!

– Escandaloso – murmurei, e – morda com força agora, soldado – enquanto enfiava o couro entre seus dentes e fazia uma incisão rápida para alargar o ferimento o suficiente para encontrar o fim da artéria cortada. Ele mordeu e não fez mais do que um grunhido baixo quando o bisturi cortou sua carne; talvez ele estivesse em choque o suficiente para não sentir muito, eu esperava que não.

– Não temos muitas opções – observei, olhando para as grandes árvores de sombra que circundavam o cemitério. Dottie estava cuidando das vítimas da insolação, dando-lhes água e, conforme o tempo e os baldes permitiam, ensopando-as com ela. Rachel era responsável por fraturas na cabeça, feridas abdominais e outras feridas graves que não podiam ser tratadas por amputação ou atadura e imobilização. Na maioria dos casos, isso significava nada mais do que confortá-los enquanto morriam, mas ela era uma garota boa e estável, que vira muitos homens morrerem durante o inverno em Valley Forge; ela não recusou o trabalho.

– Temos que deixá-los – empurrei meu queixo em direção à igreja, minhas mãos ocupadas segurando o braço do soldado Adams e ligando o vaso cortado, – fazer o que eles são capazes de fazer. Não que pudéssemos detê-los.

– Não – Denny expirou, soltou o braço ao ver que eu tinha o vaso atado e enxugou o rosto no casaco. – Não, não podemos. Eu só precisava expressar minha raiva onde não causasse mais problemas. E para perguntar se posso tomar um pouco de sua pomada de genciana; vi que você tinha dois potes de bom tamanho.

Eu dei a ele uma pequena risada irônica.

– Fique à vontade. Leckie mandou um enfermeiro há pouco para tentar se apropriar do meu estoque de fiapos e bandagens. Você precisa de um pouco, a propósito?

– Se você tiver um pouco sobrando. – Ele lançou um olhar sombrio sobre a pilha cada vez menor de suprimentos. – Dr. McGillis enviou um soldado para vasculhar o bairro em busca de itens úteis e outro para levar notícias ao acampamento e trazer algumas de volta.

– Pegue a metade – disse eu, com um aceno de cabeça, e terminei de envolver o braço de Billy Adams com uma bandagem mesquinha que ainda funcionaria. Horatio Wilkinson havia se recuperado um pouco e estava sentado, embora ainda bastante pálido. Denny o pôs de pé e o despachou com Billy para se sentar um pouco na sombra.

Eu estava vasculhando uma das minhas embalagens em busca da pomada de genciana quando percebi a aproximação de outro grupo e me endireitei para ver do que precisaria.

Nenhum deles parecia estar ferido, embora todos estivessem cambaleando. Eles não estavam de uniforme e não portavam armas, exceto porretes; sem saber se eram milícias ou …

– Ouvimos dizer que tem um pouco de conhaque, senhora – disse um deles, estendendo a mão de uma forma quase amigável e agarrando-me pelo pulso. – Venha e compartilhe com a gente, hein?

– Solte ela – disse Denzell, em um tom de profunda ameaça que fez o homem segurando meu pulso realmente soltá-lo, surpreso. Ele piscou para Denzell, que evidentemente não tinha notado antes.

– Quem diabos é você? – perguntou ele, embora mais em um tom de perplexidade do que de confronto.

– Eu sou um cirurgião do exército continental – disse Denzell com firmeza, movendo-se para ficar ao meu lado, colocando um ombro entre mim e os homens, todos claramente muito bêbados. Um deles riu disso, um som agudo de heeheehee, e seu colega deu uma risadinha e cutucou-o, repetindo, “cirurgião com o exército Continental”.

– Senhores, vocês devem ir embora – disse Denzell, avançando mais na minha frente. – Temos homens feridos que precisam de atenção. – Ele ficou com os punhos levemente cerrados, na atitude de um homem pronto para a batalha, embora eu tivesse quase certeza de que ele não o faria. Eu esperava que a intimidação resolvesse, mas olhei para minha garrafa; estava três quartos vazio, talvez fosse melhor dar a eles e torcer para que fossem embora …

Pude ver um pequeno grupo de continentais feridos descendo a estrada, dois em macas, e mais alguns tropeçando, só com as camisas ensanguentadas, os casacos nas mãos sendo arrastados na poeira. Peguei a garrafa, com a intenção de empurrá-la para os intrusos, mas um movimento no canto do meu olho me fez olhar para a sombra onde as meninas cuidavam dos prisioneiros. Rachel e Dottie estavam de pé, observando os procedimentos e, neste ponto, Dottie, com uma forte expressão de determinação no rosto, começou a caminhar em nossa direção.

Denny a viu também; eu podia ver a mudança repentina em sua postura, um toque de indecisão. Dorothea Gray pode ser uma Quaker professa, mas seu sangue familiar claramente tinha suas próprias ideias. E eu poderia, bastante para minha surpresa, dizer exatamente o que Denzell estava pensando. Um dos homens já havia notado Dottie e se virou, cambaleando, em sua direção. Se ela os confrontasse e um ou mais deles a atacasse …

– Cavalheiros – interrompi o murmúrio de interesse entre os nossos visitantes e três pares de olhos injetados de sangue viraram-se lentamente para mim. Retirei uma das pistolas que Jamie me dera, apontei para o ar e puxei o gatilho.

Saiu com um arranco violento e um “blam” que me ensurdeceu momentaneamente, junto com uma baforada de fumaça acre que me fez tossir. Limpei os olhos lacrimejantes na manga a tempo de ver os visitantes partindo apressadamente, com olhares ansiosos por cima dos ombros. Eu localizei um lenço sobressalente enfiado no meu espartilho e limpei uma mancha de fuligem do meu rosto, emergindo das dobras de linho úmido para encontrar as portas da igreja ocupadas por vários cirurgiões e auxiliares, todos olhando para mim.

Sentindo-me um pouco como Annie Oakley e reprimindo a vontade de tentar girar minha pistola, principalmente por medo de deixá-la cair; tinha quase trinta centímetros de comprimento. Eu guardei minha arma no coldre e respirei fundo. Eu me sentia um pouco tonta.

Denzell estava me olhando com preocupação. Ele engoliu em seco visivelmente e abriu a boca para falar.

– Agora não – disse eu, minha própria voz soando abafada, e acenei para os homens vindo em nossa direção. – Não há tempo.

Fonte: Diana Gabaldon
Data de publicação: 11/11/2020

Curta nossa página no Facebook, conheça nosso grupo, Apaixonados Por Outlander, nos siga no Twitter e Instagram. Inscreva-se no nosso canal do Youtube.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s